Pedro e o interior uruguaio

CONEXÃO FUTEBOL - URUGUAI

Pedro vestindo a camisa do Cerro Largo. (Foto: Facebook Pedro Mondardo Sartori)
Pedro vestindo a camisa do Cerro Largo. (Foto: Facebook Pedro Mondardo Sartori)

Era 4 de julho quando Júlio Grondona, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA) garantiu que a Copa do Mundo de 2030 seria realizada no Uruguai e Argentina como forma de comemorar o centenário do Mundial de seleções. A FIFA logo desmentiu a garantia, mas há uma “mística” pedindo por isso.

Logo se criou algumas perspectivas sobre eventuais sedes e o interior uruguaio já foi visto com preocupação, inclusive por esse blog, que falou sobre o assunto.

Apenas dois clubes do interior disputam a elite uruguaia, o Juventud (Las Piedras) e o Cerro Largo (Melo), este que contava com quatro brasileiros em seu elenco, um deles era o meio-campo Pedro. O jogador que saiu cedo do Brasil para buscar a sorte na Itália, por onde passou pelo Perugia, Misano e Conegliano. Após e Europa, o Cerro Largo acertou sua contratação, onde ficou por apenas uma temporada.

Depois de passar pelo interior uruguaio, Pedro acertou com o Juventud, de Caxias do Sul, sua terra natal, mas ele nos conta o que viu sobre o futebol do interior uruguaio.

O mercado de transferências entre sul-americanos mostra que o Brasil é um grande “importador” de jogadores sul-americanos, mas “exporta” pouco. Seu clube tinha quatro jogadores brasileiros, isso deve ser uma nova tendência no futebol uruguaio?

Pode ser, mas foi um dos poucos clubes que vi ter tantos brasileiros assim, os clubes uruguaios antigamente não tinham estrangeiros e esse mercado cada vez mais está se abrindo.

Pelo que viu do interior uruguaio, essa parte do país tem estrutura para receber uma Copa do Mundo?

O Uruguai sediou a primeira Copa do Mundo em 1930. Experiência eles têm, mas muita coisa mudou, o interior do país é formado de cidades pequenas sem muitos meios de locomoção e a hotelaria não sei se aguentaria tantas pessoas. Acho que sozinho o país não conseguiria receber uma copa hoje, mas com o auxilio da Argentina sim.

Escudo do Cerro Largo.

O Cerro Largo tem apenas 11 anos de existência e por isso os clubes de Montevidéu devem ter grande torcida na cidade. Há um apoio da população da cidade com o clube?

Sim, todos da cidade gostam e apoiam o clube, tem torcida organizada que não para de apoiar, mas claro que seus primeiros times são os da capital como Peñarol, Nacional e Defensor, por isso os jogos contras os grandes times eram os que mais enchiam.

Analisando o futebol do interior uruguaio atualmente, quais são as expectativas para o futuro?

Mesmo sendo profissional na questão jurídica, (a) questão de estrutura “falta ainda”. É um país pequeno com três milhões de habitantes e metade vive na capital Montevidéu, o Cerro Largo é o único time do interior na Série A do país (há outra equipe do interior na competição, o Juventud de Las Piedras), que antigamente era formada somente por clubes da capital, então acho que nesse ritmo de crescimento as coisas só tendem a melhorar por lá!

Você acertou com o Juventude, mas não passa pela sua cabeça voltar a atuar por outro país sul-americano?

Claro que sim, se surgir à oportunidade e ser uma oferta agradável com certeza, existem ótimos clubes espalhados pelo continente.

 

Curta a página do Série Z no Facebook

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s