Revista Série Z CONTEXTO,MAPA SÉRIE Z,UCRÂNIA Da primeira a terceira divisão: os 46 jogadores brasileiros na Ucrânia em um mapa interativo

Da primeira a terceira divisão: os 46 jogadores brasileiros na Ucrânia em um mapa interativo



Texto atualizado em 24 de fevereiro de 2022, às 14h24

Anúncios

Desde 2014, a região leste da Ucrânia convive com a Guerra em Donbass, que tem como protagonistas grupos separatistas de Donetsk e Luhansk e a Rússia contra o governo ucraniano. O conflito gerou a separação da Crimeia, que teve consequências no futebol com a saída do Tavriya Simferopol, primeiro campeão nacional, após a separação da União Soviética, que fica nesta região e passou a jogar na liga que não é reconhecida oficial, assim como essa anexação.

As duas regiões que são foco da atual disputa, que foram declaradas independente por Vladimir Putin recentemente, tiveram a relação com o futebol totalmente cortada, com o Shakhtar Donetsk tendo que atuar em Kiev, atualmente, e o Zorya Luhansk em Zaporizhzhia. São clubes que há oito anos não têm mais “casa própria”.

Saindo dessa região, a tensão permeou toda população ucraniana, mas a vida seguiu dentro de uma “normalidade”, o que fez com que estrangeiros continuassem chegando ao país para jogar futebol, principalmente, os brasileiros, que são a nação forasteira com mais jogadores na liga local desde 2008/09.

Nós preparamos uma lista e um mapa (com as cidades bombardeadas e onde estão os brasileiros no momento) para mostrar todos os brasileiros que estão atuando neste momento, seja na primeira, segunda ou terceira divisão local. Não há registros de mulheres atuando no campeonato feminino.

A primeira divisão conta com 33 brasileiros em onze das 16 equipes, sendo 13 jogadores no Shakhtar Donetsk, principal importador de jogadores tupiniquins no país. Os jogadores do clube e o atacante Vitinho, do Dinamo Kiev, foram os primeiros a fazer um vídeo pedindo ajuda do governo brasileiro para saírem do país. A lista completa da primeira divisão é a seguinte:

  • Shakhtar Donetsk: os zagueiros Vitão (desde o segundo semestre de 2020) e Marlon Santos (primeira temporada), os laterais Dodô (desde abril de 2018, com um hiato na temporada 2018/19), Vinícius Tobias (anunciado há um mês), Ismaily (desde maio de 2013), os meias Maycon (desde a temporada 2018/19), Marcos Antônio (início de 2019) e Alan Patrick (primeira passagem entre setembro de 2011 e maio de 2013 e retorno ao país no início de 2017) e os atacantes David Neres (anunciado em 14 de janeiro), Tetê (início de 2019), Fernando (desde o segundo semestre de 2018, com um pequeno hiato no meio da temporada 2019/20), Pedrinho (primeira temporada) e o brasileiro naturalizado ucraniano Júnior Moraes (anunciado em fevereiro de 2011 pelo Metalurh Donetsk, onde não jogou. Em 2012/13, voltou ao clube e, posteriormente, vendido ao Dinamo Kiev, onde teve apenas um hiato no começo de 2017 para jogar na China. O Shakhtar é o terceiro clube na Ucrânia)
  • Dnipro-1: o lateral Busanello (anunciado há 15 dias) e os atacantes Felipe Pires (anunciado há 11 dias) e Bill (desde fevereiro de 2021)
  • FC Lviv: os meias Alvaro Tavares (desde 2019, com um pequeno hiato no fim de 2020) e Rafael Sabino (desde o segundo semestre de 2018) e o atacante China (desde 2017)
  • Metalist 1925 Kharkov: o volante Fabinho (primeira passagem em 2019 e retorno meio do ano passado), o meia Derek (desde o último trimestre de 2019) e o atacante Marylson (primeira temporada)
  • Zorya Luhansk: o lateral Juninho (desde o início da temporada 2020/21) e os atacantes Guilherme Smith (desde maio de 2021) e Cristian (primeira temporada)
  • Kolos Kovalivka: os atacantes Diego Carioca (desde o meio de 2021) e Renan Oliveira (desde o meio de 2019, com um hiato no segundo semestre de 2020)
  • Rukh Vynnyky: o volante Edson (anunciado há um mês) e o atacante Talles Brener (há um ano no país)
  • Chornomorets Odesa: o meia Wanderson Maranhão (anunciado no início de fevereiro)
  • Dinamo Kiev: o atacante Vitinho (desde agosto de 2021)
  • Inhulets Petrove: o zagueiro William (anunciado há um mês)
  • Vorskla Poltava: o atacante Lucas Rangel (primeira temporada)
Ismaily é o brasileiro há mais tempo sem interrupção na Ucrânia. Ele tem 228 jogos pelo Shakhtar

Na segunda divisão, nove brasileiros disputam a competição, o país estrangeiro com mais atletas na liga. Metal Kharkiv, Hirnyk-Sport, VPK-Ahro Shevchenkivka e Kryvbas são os únicos clubes com esses atletas.

O Metal Kharkiv tem o lateral Maílton (primeira temporada) e os atacantes Matheus Peixoto (primeira temporada), Paulinho Bóia (desde novembro de 2021) e David (anunciado há 20 dias), mas todos estão treinando na Turquia, protegidos dos ataques que ocorrem. No Hirnyk, temos o meia Juninho e o atacante Bruno Ernandes, ambos na primeira temporada. Para fechar, o volante Daniel Jesus (primeira temporada) e o atacante Vicente (desde março de 2019, com um hiato no primeiro semestre de 2020) são os jogadores do VPK-Ahro. Para fechar, o brasileiro com cidadania francesa, Vagner Gonçalves é jogador do Kryvbas e está na Ucrânia desde janeiro de 2021.

Na esquerda, Vicente e na direita, Daniel Jesus, jogadores do VPK-Ahro

Na terceira divisão, a Druha Liha, quatro brasileiros estão jogando atualmente. O FK Vovchansk, que fica na região ao lado de Luhansk e Donetsk, conta com os meias Luan (ex-Volta Redonda e America) e Wendel (ex-XV de Piracicaba), que chegaram para a atual temporada. O experiente Nivaldo, 33 anos, está há 11 anos no futebol europeu, com passagens por Cazaquistão, Belarus, Rússia, Uzbequistão e Malta, até chegar nesta temporada no Chaika Petropavlivska. Para fechar a lista, o atacante Claudinei está na Ucrânia desde junho de 2019 e atualmente defende o Epitsentr Dunaivtsi.

Deixe uma resposta

TopBack to Top
%d blogueiros gostam disto: