A seleção da Copa Verde 2020, organizada pelo @sigaCopaVerde

por Matheus Silva, editor do @sigaCopaVerde

A Copa Verde 2020, disputada inteiramente em 2021, chegou ao final. Apesar da desorganização promovida pela CBF, o regional manteve a tradição e teve várias partidas emocionantes, a exemplo da final, disputada entre Remo e Brasiliense, decidida nos pênaltis, em Belém.

Para marcar o fim do torneio, o perfil @sigaCopaVerde no Twitter, com a participação de jornalistas que cobriram os clubes participantes, montou a seleção da Copa Verde.

Participaram da formação da seleção: Matheus Silva (editor do @sigaCopaVerde); Camila Leonel (A Crítica), Felipe Silva (Rádio Metropolitana/PA), Larissa Balieiro (Difusora/AM), Rener Lopes (Esportes Brasília), Nathália Freitas (Rádio Sagres/GO) e o pessoal do site Distrito do Esporte, dedicado à cobertura do esporte candango.

Confira a seguir:

Melhor goleiro | Edmar Sucuri (Brasiliense)

O camisa 1 do Jacaré fechou o gol durante a Copa Verde inteira, tendo seus momentos de maior brilho na decisão de pênaltis diante do Vila Nova e fechando o gol no Mangueirão contra o Remo.

Melhor lateral-direito | Wellington Silva (Remo)

Chegou com tudo no Leão Azul, sendo uma peça ofensiva fundamental durante a Copa Verde, com direito a gol decisivo diante do Manaus nas semifinais. O pênalti perdido na decisão não apaga a trajetória do camisa 2 azulino no torneio.

Melhores zagueiros | Badhuga (Brasiliense) e Rafael Jansen (Remo)

O defensor do Jacaré fez uma Copa Verde segura, sempre que exigido, não comprometeu, diante de fortes equipes, como Atlético, Vila Nova e Remo. Para Rafael, o gol na final veio para coroar a trajetória correta do zagueiro na Copa Verde.

Lateral-esquerdo | Marlon (Remo)

Peça fundamental no esquema ofensivo de Paulo Bonamigo.

Melhor volante | Aldo (Brasiliense)

Cão de guarda do Jacaré. Importante tanto no trabalho defensivo quanto no ataque, como mostrou no primeiro jogo da decisão, ao marcar o gol da vitória do Brasiliense.

Melhores meias | Felipe Gedoz (Remo) e Alan Mineiro (Vila Nova)

O camisa 10 azulino mostrou um grande futebol na Copa Verde. Dele falaremos mais tarde. Alan carregou praticamente sozinho o Tigrão na Copa Verde. Gols decisivos contra Palmas, Cuiabá e Brasiliense. Se não fosse ele, dificilmente o Vila chegaria tão longe. Terminou o torneio como artilheiro (5 gols, ao lado de Diego Rosa, do Manaus).

Melhores atacantes | Wallace (Remo), Diego Rosa (Manaus) e Zé Love (Brasiliense)

O garoto do Remo marcou gols contra Independente, Manaus e Brasiliense, mostrando qualidade e faro de gol. Tem tudo pra evoluir e dar bons frutos ao Leão. Artilheiro da Copa Verde (junto com Alan Mineiro), o camisa 7 do Manaus foi decisivo para o Gavião chegar às semifinais da Copa Verde. Zé Eduardo marcou um lindo gol de falta contra o Atlético. Outro belo gol diante do Vila Nova e a consagração com o gol decisivo diante do Remo, no Mangueirão. Se Sucuri fechou o gol, Zé Eduardo foi fundamental no ataque.

Melhor técnico | Vilson Tadei (Brasiliense)

Vindo do rival Gama, o professor teve a desconfiança da torcida de início, ainda mais com a eliminação na Série D. Porém, na Copa Verde, montou um time bem treinado e que soube explorar as características de seus atletas, culminando no título.

Craque | Felipe Gedoz (Remo)

Vencedor da votação popular (feita no perfil da Copa Verde) e na opinião dos jornalistas, o G10 mostrou um grande futebol na Copa Verde. Ajudou o time no sufoco em Tucuruí (quando quase o Remo foi eliminado pelo Independente), comandou o meio campo contra o Manaus e deu assistências para os três gols azulinos na final. Decisivo.

About the author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: