Portugal, futebol e a fé

CONEXÃO FUTEBOL - PORTUGAL

Renan defendendo as cores do Aguiar da Beiras. Começo na quarta divisão rumo à Segunda Liga. (Foto: Facebook Renan Soares)
Renan defendendo as cores do Aguiar da Beira. Começo na quarta divisão rumo à Segunda Liga. (Foto: Facebook Renan Soares)

Futebol e fé sempre convergiram. A fé não necessariamente precisa ser “religiosa”, o ato de acreditar, ter esperança em um gol que precisa ser feito normalmente aparece no futebol. Renan Soares, meio-campo da UD Oliveirense (Portugal), é daqueles que tem a fé como como modo de perseverança dentro do futebol. Em suas palavras sempre há a ligação com Deus.

Nascido em Aracaju (SE), Renan lutou para ser jogador aqui no Brasil, passou por alguns clubes, mas foi em Portugal que começou a despontar para o futebol.

Chegou em 2010, para a disputa da III Divisão (equivalente à quarta divisão portuguesa), para jogar no Aguiar da Beira, a equipe acabou rebaixada. Na temporada 2011/12 se sagrou campeão distrital da Guarda (AF Guarda) , o que recolocou a equipe na quarta divisão.

Renan jogou por mais seis meses no clube até surgir a proposta de um “pulo” de divisão. Em dezembro de 2012, estava contratado pela UD Oliveirense da Segunda Liga portuguesa. A equipe fez boa campanha, terminou na oitava posição. Nesta temporada, a equipe fundada em 1922, espera retornar a elite que não disputa desde a temporada 1945/46.

O “Série Z” conversou com Renan Soares.

Como foi o começo da carreira no Brasil?

Passei por três pequenas equipes, (disputei) campeonatos estaduais em Sergipe e Espírito Santo. Antes disso, quando era mais novo, aos 15 anos, fui morar com meu tio em São Paulo, onde passei (um) ano e meio, sendo que fiz testes no São Caetano e Santo André, mas fui dispensado. Mesmo assim, não desisti de um sonho de Deus pra mim. Depois disso surgiu a oportunidade de ir jogar no Bahia, mas mesmo assim fui fazer provas, mais uma vez fui dispensado. […] E quando Deus quis, abriu uma oportunidade em Portugal mesmo eu estando sem clube.

Como surgiu a oportunidade de ir para o futebol português?

Em um jogo no Espírito Santo, um empresário gostou do meu futebol e prometeu que iria me trazer para aqui (Portugal). Um ano depois ele cumpriu a promessa.

E a família ficou aqui no Brasil? Ou está com você em Portugal?

Tenho família toda no Brasil, mas pela profissão que escolhi, foi algo que sempre abri mão, mesmo sabendo do tamanho das saudades, (tinha) que ser assim. Neste mundo (tenho) aflições, essa é uma delas.

Escudo do Aguiar da Beira.

Seu primeiro clube em Portugal foi o Aguiar da Beira, onde ficou por dois anos e seis meses. Como foi a passagem pelo clube?

Minha primeira experiência em Portugal relacionada a clubes não foi boa, não pelo fato do clube em si, mas pelas condições que tive, sempre associei a Europa como algo de sucesso rápido no futebol, mas comigo não foi assim. Dou graças a Deus que encontrei pessoas certas no lugar certo e custou-me quase dois anos e meio, mas a vitória chegou, dei um grande salto.

Depois do Aguiar você acertou com o UD Oliveirense até 2016. Imaginava saltar rapidamente da quarta divisão portuguesa para a Segunda Liga?

Sabia que Deus tinha e tem um propósito para mim. Estou firmado nele e mesmo diante de muitas coisas que ouvia falar de mim, não desisti. Sabia que minha benção poderia chegar a qualquer momento e foi o que aconteceu.

Escudo da UD Oliveirense.

Na última temporada a Oliveirense fez uma boa Segunda Liga, acredita em um possível acesso em 2013/14?

Estou certo que será o meu melhor ano no futebol, seria uma boa, o acesso nesta época, mas ainda traçamos os objetivos para este ano. É possível sim, mas só saberemos mais para frente.

Como foi a adaptação em Portugal? Tem alguma história marcante durante esta passagem?

Histórias marcantes […] não faltam. Trabalhei um ano e treinava a noite, para poder estar legalizado no país. (Fui) abandonado pelo empresário. Ouvi pessoas dizerem que se eu fosse bom não estaria na quarta divisão. Mas em todas elas Deus me honrou.

O futebol português é conhecido pelo alto número de brasileiros que jogam por aí. Há alguma semelhança entre o futebol brasileiro e o português, por esta razão? E quais são as diferenças?

Poucas são as semelhanças. Acho que são mais (diferenças), exemplo: são jogos mais diretos para o gol, futebol mais duro, jogo muito mais rápido, campos menores e outras coisas…

Como você avalia a estrutura da Oliveirense e da cidade de Oliveira de Azeméis?

Poderia falar muitas coisas, mas basta dizer que é o melhor clube que já estive. A cidade é muito tranquila, como eu gosto, e foi o clube que me deu a maior oportunidade no futebol até hoje.

Qual seu sonho em um futuro próximo?

Amo sonhar. Tenho um grande sonho para um futuro próximo. No momento só meu Pai do céu sabe. Deixo aqui você (e os leitores) com um pouco de curiosidade (risos).

Pensa em voltar ao Brasil de imediato?

Não, mas sei que meu futuro pertence a Deus. Está nas mãos dele o que for melhor para minha carreira.

Curta a página do Série Z no Facebook

Anúncios

2 comentários em “Portugal, futebol e a fé

  1. ESTE GAROTO VAI LONGE, POQ ELE ESTA NO CAMINHO DE DEUS,E ESTE SERÁ SEMPRE O MELHOR CAMINHO, PRA TODOS, PRINCIPALMENTE PRA QUEM TEM GRANDES SONHOS COMO O “RENAN”, DEUS TE ILUMINE SEMPRE, BOA SORTE CAMPEÃO!!!…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s