Revista Série Z BOLA DE CAPOTÃO,MUNDO,POR ONDE ANDA? Copa do Mundo 2002: oito jogadores continuam ativos, mais de cem viraram treinadores e dez faleceram

Copa do Mundo 2002: oito jogadores continuam ativos, mais de cem viraram treinadores e dez faleceram



Anúncios

O que você lembra de 2002? O ano teve lançamento do filme Cidade de Deus, a criação do grupo Rouge (!?), o fim do apagão no Brasil, o Euro entrava em vigor e Lula foi eleito presidente do Brasil. No futebol, foi o ano dos Supercampeonatos Estaduais, do título do Paysandu na extinta Copa dos Campeões, do Brasiliense campeão da Série C, da última participação na fase de grupos da Champions do Newcastle e de Copa do Mundo, a primeira realizada na Ásia e em dois países.

Há 20 anos, grandes nomes do desporto entravam em campo, mas também foi o momento de vermos grandes histórias alternativas como as estreias de China, Eslovênia, Senegal e Equador, a decisão de 3° lugar entre Turquia e Coreia do Sul, o clássico entre Estados Unidos e México e o brilho de jogadores como Rustu Recber, El Hadji Diouf, Papa Bouba Diof e Ahn Jung-Hwan.

Nós fomos atrás dos currículos dos 736 jogadores que foram convocados para o Mundial de 2002 para descobrir quantos jogadores continuam ativos. As duas décadas fizeram com que oito atletas continuem em campo desde nomes conhecidos até um ídolo no futebol indiano.

Infelizmente, dez jogadores morreram nesse período, com um atleta falecendo no mesmo ano da Copa até o ano atual desse texto.

Muitos, mas muitos mesmo, viraram treinadores. Nossa lista encontrou 108 nomes que foram comandantes de equipes em 2022, o que representa aproximadamente 15%. Porém, a lista deve ser maior pelo período que escolhemos, pois Zinedine Zidane, por exemplo, não entrou, pois está sem clube desde o ano passado. Seis desses profissionais estarão na Copa no comando de seleções.

O Equador é a única nação que não tem nomes em nenhuma das nossas listas, incluindo a de curiosidades, com jogadores que ocupa outras funções em clubes alternativos pelo mundo. Viaje no tempo com a nossa produção, o nosso grande especial nesse “esquenta” para a Copa do Mundo de 2022 até a publicação do Guia Alternativo em 18 de novembro.

Em atividade

Joaquín – Espanha | Real Betis

Em 2002, o meia-atacante estava apenas na segunda temporada de Betis, mas chamou atenção pela velocidade e ganhou chance na Copa, onde participou de duas partidas. Anos depois, ele passou por Valencia, Málaga e Fiorentina até voltar ao Betis em 2015/16, clube que permanece até hoje para completar 20 anos de clube, se tornar o jogador com mais partidas (501) e o oitavo maior artilheiro (67 gols).

Gianluigi Buffon – Itália | Parma

Esse dispensa apresentações! O goleiro está com 44 anos e continua na ativa, no Parma, clube que foi revelado. Quando disputou a Copa do Mundo 2002, ele estava na primeira temporada de Juventus. Com a camisa do Parma, está na segunda temporada de retorna, sendo as duas na Serie B. Atualmente, se recupera de lesão após fazer três partidas.

Junichi Inamoto – Japão | Nankatsu

Em 2002, o volante Inamoto vinha de uma temporada de apenas quatro jogos pelo poderoso Arsenal, que o contratou emprestado pelo Gamba Osaka, onde se destacou por cinco temporadas como profissional. Teve uma carreira sólida na Europa por quase uma década até voltar para o Japão em 2010. Aos 43 anos, ele está na primeira temporada de Nankatsu, clube da quinta divisão japonesa. Detalhe que ele fez os quatro jogos da campanha de 20 anos, sendo que fez o gol da vitória na partida contra a Rússia.

Shinji Ono – Japão | Consadole Sapporo

Se fizéssemos uma lista dessa para a Copa de 1998, Ono seria um dos raros jogadores em atividade, sendo que foi convocado para o Mundial no primeiro ano profissional de Urawa Reds. Um dos grandes nomes da história do futebol japonês, ele foi para o Mundial de 2002 como jogador do Feyenoord, titular na conquista da Copa UEFA. Ono conquistou duas Champions da Ásia com o Urawa Reds (2007) e Western Sydney Wanderers (2014). Aos 43 anos, ele faz parte do elenco do Consadole Sapporo, o oitavo ano de clube em duas passagens.

Roque Santa Cruz – Paraguai | Libertad

Em 2002, Santa Cruz estava no terceiro ano de Bayern Munique, clube que conquistou uma Mundial de Clubes, uma Champions e cinco campeonatos nacionais. Depois de rodar a Europa, ele voltou ao Paraguai para defender o Olimpia, que o revelou. Após seis temporadas, acertou, aos 41 anos, com o Libertad, fazendo uma temporada muito boa com 13 gols marcados até o fechamento desse texto.

Zlatan Ibrahimovic – Suécia | Milan (Itália)

Na Copa do Mundo de 2002, Zlatan atuou apenas 33 minutos em duas partidas. Mal sabiam que era o surgimento do grande jogador da história do futebol sueco com passagem por Juventus, Internazionale, Barcelona, Paris Saint-Germain, Manchester United e Milan, clube onde está se recuperando de uma lesão grave no joelho.

Carlos Kameni – Camarões | UE Santa Coloma (Andorra)

Ídolo no Espanyol e Málaga, Kameni vive um final de carreira bem alternativo. Depois de sair da Espanha, ele teve dois anos no Fenerbahce, onde foi pouco utilizado. Ficou dois anos no Arta Solar, clube de Djibuti, que é uma espécie de “galácticos africanos”. Está no elenco do clube de Andorra. Em 2002, ele era reserva da equipe camaronesa.

Bartholomew Ogbeche – Nigéria | Hyderabad (Índia)

O atacante era o segundo jogador mais novo do elenco nigeriano de 20 anos atrás. Ele apareceu em duas partidas da campanha que parou na primeira fase. Ogbeche era uma revelação da base do Paris Saint-Germain, mas não durou muito até começar a rodar o mundo, mas com estabilidade na Espanha, Holanda e Índia, país que está há cinco anos, sendo o atual bicampeão da Super League, com Mumbai City (2021) e Hyderabad (2022).

Anúncios

Os jogadores que voltam à Copa 2022 em outras funções

Antes de entrar na lista de treinadores, vamos explorar os, então, jogadores em 2002 que voltarão para o Mundial, dessa vez, em outras funções, sendo seis na função de treinador. Apenas um não treinará a seleção de seu país. O ex-meia Luis Enrique comanda a Espanha; o ex-zagueiro Gregg Berhalter treina os Estados Unidos; o ex-atacante Gareth Southgate é o técnico da Inglaterra, o ídolo e capitão em 2002 Aliou Cissé vai para a segunda Copa a frente de Senegal; ex-zagueiro Rigobert Song é o mister de Camarões e o português Paulo Bento, ex-meia conduz Son e companhia na seleção da Coreia do Sul.

Além desses, vale citar quatro ex-atletas que serão auxiliares técnicos: Christian Poulsen (Dinamarca), Pablo Aimar (Argentina), Ivica Olic (Croácia) e Thierry Henry (França, que auxilia Roberto Martinez na Bélgica)

João Vieira Pinto é o diretor esportivo da Federação Portuguesa de Futebol e o grande Samuel Eto’o é o presidente da Federação Camaronesa de Futebol.

Treinadores

Clique e confira os 102 nomes

Carsten Jancker – Alemanha | DSV Leoben (Áustria – 3ª Divisão)

Miroslav Klose – Alemanha | SCR Altach (Áustria)

Rogério Ceni – Brasil | São Paulo

Hong Myung-Bo – Coreia do Sul | Ulsan Hyundai

Kim Nam-Il – Coreia do Sul | Seongnam FC

Choi Yong-Soo – Coreia do Sul | Gangwon

Lee Min-Sung – Coreia do Sul | Daejeon Hana Citizen (2ª Divisão)

Seol Ki-Hyeon – Coreia do Sul | Gyeongnam (2ª Divisão)

Hwang Sun-Hong – Coreia do Sul | Seleção Sub-23 da Coreia do Sul

Yoon Jung-Hwan – Coreia do Sul | JEF United (Japão – 2ª Divisão)

Bulent Korkmaz – Turquia | Caykur Rizespor

Emre Belozoglu – Turquia | Istanbul Basaksehir

Okan Buruk – Turquia | Galatasaray

Curro Torres – Espanha | Cultural Leonessa, em 2021/22 (3ª Divisão)

Rubén Baraja – Espanha | Ibiza-Eivissa (2ª Divisão)

Sergio González – Espanha | Cádiz

Xavi Hernández – Espanha | Barcelona

Raúl – Espanha | Real Madrid “B”

Pablo Mastroeni – Estados Unidos | Real Salt Lake

Steve Cherundolo – Estados Unidos | Los Angeles FC

Landon Donovan – Estados Unidos | San Diego Loyal (2º Escalão) – ele, também, é um dos donos do clube

Josh Wolff – Estados Unidos | Austin FC

Omar Daf – Senegal | Dijon (França – 2ª Divisão)

Habib Beye – Senegal | Red Star (França – 3ª Divisão)

Johan Walem – Bélgica | Anderlecht [Feminino] – último clube

Yves Vanderhaeghe – Bélgica | Oostende

Marc Wilmots – Bélgica | Raja Casablanca (Marrocos) – último clube

Claus Jensen – Dinamarca | Nykobing (2ª Divisão)

Jon Dahl Tomasson – Dinamarca | Blackburn (Inglaterra – 2ª Divisão)

Peter Lovenkrands – Dinamarca | Fremad Amager (2ª Divisão) – último clube

Fabio Cannavaro – Itália | Benevento (2ª Divisão)

Gennaro Gattuso – Itália | Valencia (Espanha)

Filippo Inzaghi – Itália | Reggina (2ª Divisão)

Vincenzo Montella – Itália | Adana Demirspor (Turquia)

Yutaka Akita – Japão | Iwate Grulla Morioka (2ª Divisão)

Toshihiro Hattori – Japão | Fukushima United (3ª Divisão)

Tsuneyasu Miyamoto – Japão | Gamba Osaka – último clube

Rafa Márquez – México | Barcelona “B” (Espanha)

Gabriel Caballero – México | Mazatlán

Chiqui Arce – Paraguai | Cerro Porteño

Pedro Sarabia – Paraguai | Club Nacional

Celso Ayala – Paraguai | Sol de América

Júlio Cáceres – Paraguai | Olimpia

Estanislao Struway – Paraguai | Sportivo Iteño (2ª Divisão) – último clube

Carlos Paredes – Paraguai | Rubio Ñu (2ª Divisão)

Carlos Bonet– Paraguai | Club Nacional – último clube

Gustavo Morínigo – Paraguai | Coritiba (Brasil) – último clube

José Cardozo – Paraguai | CSD Municipal (Guatemala)

Damien Duff – Irlanda | Shelbourne

Lee Carsley – Irlanda | Seleção Sub-21 da Inglaterra

Johan Mjällby – Suécia | FC Stockholm (4ª Divisão) – último clube

Andre Arendse – África do Sul | Supersport United – último clube

Bradley Carnell – África do Sul | St. Louis City SC – time estreia na MLS em 2023

Germán Burgos – Argentina | Aris (Grécia)

Mauricio Pochettino – Argentina | Paris Saint-Germain (França) – último clube

Diego Placente – Argentina | Seleção da Argentina Sub-17

Diego Simeone – Argentina | Atlético Madrid (Espanha)

Marcelo Gallardo – Argentina | River Plate

Matías Almeyda – Argentina | AEK Atenas (Grécia)

Kily González – Argentina | Rosario Central – último clube

Hernan Crespo – Argentina | Al-Duhail (Catar)

Yu Genwei – China | Tianjin Jinmen Tiger

Li Tie – China | Seleção da China – último trabalho

Li Xiaopeng – China | Seleção da China

Luís Marín – Costa Rica | Pérez Zeledón

Mauricio Wright – Costa Rica | Saprissa – último clube

Wilmer López – Costa Rica | Alajuelense (Feminino)

Mauricio Solís – Costa Rica | ADR Jicaral – último clube

Wálter Centeno – Costa Rica | Guadalupe

Paulo Wanchope – Costa Rica | Pérez Zeledón – último clube

Hernán Medford – Costa Rica | Herediano

Josip Simunic – Croácia | Seleção da Croácia Sub-19

Stjepan Tomas – Croácia | Sheriff Tiraspol (Moldávia)

Robert Jarni – Croácia | Seleção da Croácia Sub-17

Niko Kovac – Croácia | Wolfsburg – treinador

Robert Prosinecki – Croácia | Olimpija Ljubljana (Eslovênia) – último clube

Zvonimir Soldo – Croácia | Tractor Club (Irã) – último clube

Muamer Vugdalić – Eslovênia | Seleção da Eslovênia Sub-15

Milenko Acimovic – Eslovênia | Seleção da Eslovênia Sub-21

Sebastjan Cimirotič – Eslovênia | Olimpija Ljubljana [Sub-17]

Willy Sagnol – França | Seleção da Geórgia

Patrick Vieira – França | Crystal Palace (Inglaterra)

Pawel Sibik – Polônia | Lechia Dzierzoniow (5ª Divisão)

Jorge Costa – Portugal | Académico de Viseu (2ª Divisão)

Rui Jorge – Portugal | Seleção de Portugal Sub-17

Paulo Sousa – Portugal | Flamengo (Brasil) – último clube

Sérgio Conceição – Portugal | Porto

Capucho – Portugal | Porto [Sub-19}

Petit – Portugal | Boavista

Stanislav Cherchesov – Rússia | Ferencváros (Hungria)

Valery Karpin – Rússia | FK Rostov

Sergei Semak – Rússia | Zenit St. Petersburg

Dmitri Khokhlov – Rússia | Rotor Volgograd (2ª Divisão) – último clube

Aleksandr Kerzhakov – Rússia | Nizhny Novgorod – último clube

Mohamed Mkacher – Tunísia | Étoile du Sahel

Radhi Jaïdi – Tunísia | Esperánce Tunis – último clube

Selim Benachour – Tunísia | Oldham Athletic (4ª Divisão – Inglaterra) – último clube

Gustavo Munúa – Uruguai | Uníon (Argentina)

Paolo Montero – Uruguai | Juventus [Sub-19] (Itália)

Pablo García – Uruguai | PAOK “B” (Grécia)

Loco Abreu – Uruguai | Paysandú (3ª Divisão) Álvaro Recoba – Uruguai | Nacional “B”

Anúncios

Falecidos

Yoo Sang-Chul – Coreia do Sul

Presente em todos os jogos da campanha histórica, Yoo foi ídolo do Ulsan Hyundai. Em 2002, ele era jogador do Kashiwa Reysol. Teve uma carreira de oito anos como treinador até ser diagnosticado com câncer no pâncreas, que o levou a morte em junho de 2021.

Papa Bouba Diop – Senegal

Um dos nomes de jogadores mais legais de se falar, Papa Bouba Diop foi o autor do primeiro gol da Copa do Mundo 2002 na vitória pelo placar mínimo contra a França. Em 2002, ele jogava no Lens e teve mais uma década de carreira. O volante teve diagnóstico de esclerose lateral amiotrófica e em novembro de 2020 morreu após longa batalha contra a doença.

Naoki Matsuda – Japão

A morte de Matsuda se tornou mais trágica do que o comum, pois em 2 de agosto de 2011, ele fazia um treino pelo Matsumoto Yamaga e teve um desmaio, que ficou provado que era uma parada cardíaca que o vitimou dois dias depois aos 34 anos. O Matsumoto foi apenas o segundo time dele logo que saiu do Yokohama Marinos onde ficou 15 anos. O defensor atuou nos 360 minutos da campanha japonesa.

Khamis Al-Owairan – Arábia Saudita

Aos 28 anos, Al-Owairan disputou a segunda Copa da carreira. Em 1998, era atleta do Al-Hilal e quatro anos depois defendia o Al-Ittihad. Ele participou do primeiro tempo contra a Alemanha e foi titular na despedida contra a Irlanda. Em 2007, ele se aposentou. Em janeiro de 2020, ele perdeu a batalha contra o câncer e morreu aos 46 anos.

Marc-Vivien Foé – Camarões

Uma das mais trágicas cenas que o futebol viu dentro de campo foi quando Foé caiu em campo em uma partida da Copa das Confederações 2003 quando enfrentou a Colômbia. Desacordado, ele saiu do gramado e não resistiu. Após isso, foi constatado que ele tinha cardiomiopatia hipertrófica, uma rara condição que atinge 0,2% da população. Em 2002, ele chegou para a disputa da Copa, onde fez três gols, como campeão francês com o Lyon. Acertou com o Manchester City, onde fez o último gol do antigo estádio do clube.

Zhang Enhua – China

O zagueiro não entrou em campo em nenhuma partida de 2002. Ele era jogador do Dalian Shide e mesmo com 29 anos, se aposentou quatro anos depois no South China, de Hong Kong. A morte dele foi bem peculiar. Em 28 de abril de 2021, ele comemorou aniversário e por uma parada cardíaca por excesso de consumo de álcool durante a festividade acabou falecendo um dia depois.

Anúncios

Lester Morgan – Costa Rica

Terceiro goleiro da seleção no Mundial, Lester não entrou em campo. O que chama atenção é que ele morreu em novembro de 2002, quando cometeu o suicídio. Ele deixou um vídeo e cartas a familiares e amigos e ele sofria com depressão, devido as tantas contusões que teve na carreira.

Goran Sankovic – Eslovênia

A carreira do defensor foi bem curta! Ele foi convocado para a Copa de 2002 aos 22 anos, quando defendia o Slavia Praga. Não atuou em nenhuma das três partidas. Dois anos depois, ele encerrou a carreira devido a uma grave lesão no joelho. No início de junho, ele desapareceu, a polícia foi chamada e o encontrou morto dentro do carro do ex-jogador em 4 de junho de 2022.

Justice Christopher – Nigéria

No fim de 2002, o meia completaria 21 anos, mas foi bem utilizado na Copa, entrando no segundo tempo da estreia e sendo titular nas duas últimas partidas. Ele jogava na Bélgica e a carreira não foi longa. Em 2007 se aposentou e chegou a voltar a atuar em 2012. Em março de 2022, ele desmaiou em um hotel de propriedade dele e morreu. Não encontramos a causa da morte, mas ele sofria com pressão alta há um tempo.

Ahmed Jaouachi – Tunísia

Ele era o terceiro goleiro da seleção em 2002 e foi responsável pela primeira e única convocação de um jogador do US Monastir para uma Copa do Mundo. Oito anos depois, ele se aposentou. Em novembro de 2016, ele faleceu, mas não encontramos o motivo.

John Walton/EMPICS/Getty Images
Anúncios

Curiosidades

— O atacante Oliver Neuville, da Alemanha, teve seis temporadas como jogador do Borussia Monchengladbach, e há três anos é auxiliar técnico do clube

— O volante Edmilson, do Brasil, é presidente do SKA Brasil, da quarta divisão paulista

— O volante Kléberson, do Brasil, é atual auxiliar técnico do New York City, da MLS

— Gaizka Mendieta, da Espanha, depois de trabalhar como comentarista esportivo por anos resolveu assumir a direção de futebol do Pafos FC, do Chipre

— Carlos Llamosa, dos Estados Unidos, é auxiliar técnico do Portland Timbers e assumiu a equipe na maior parte da temporada como treinador interino

— Claudio Reyna, dos Estados Unidos, disputou a edição aos 28 anos e duas décadas depois, provavelmente, verá o filho Giovanni jogar em Catar 2022

— David Beckham, da Inglaterra, é dono do Inter Miami, que disputa a MLS

— Pape Thiaw, de Senegal, treinou a seleção local na Taça da COSAFA, onde a equipe foi convidada, um torneio que reúne apenas jogadores das ligas locais

— Jesper Christiansen, da Dinamarca, é o treinador de goleiros do Nykobing, que disputa a segunda divisão dinamarquesa

— Alex Santos, brasileiro naturalizado japonês, é idealizador e diretor do Aruko Sports Brasil, clube do Paraná que estreará na primeira divisão estadual em 2023

Felipe Augusto/Aruko Sports Brasil

— Masashi Nakayama, do Japão, se aposentou em 2020 e há dois anos é o auxiliar técnico do Jubilo Iwata, que está na primeira divisão nacional

— José Luis Chilavert, do Paraguai, será candidato a presidência do país em 2023

— Toro Acuña, do Paraguai, é atual auxiliar técnico do Coritiba

— Dean Kiely, da Irlanda, é treinador de goleiro do Crystal Palace

— Henrik Larsson, da Suécia, teve as duas últimas temporadas como auxiliar técnico do Barcelona, mas é treinador com nove anos de futebol sueco

— Benni McCarthy, da África do Sul, é o auxiliar técnico do Manchester United

— Juan Sebastián Verón, da Argentina, é o presidente do Estudiantes, clube que o revelou e venceu a Libertadores 2009

— Robert Kovac, da Croácia, acompanha o irmão, Niko, por onde for como auxiliar do treinador, que no caso atual é o Wolfsburg

— Davor Suker, da Croácia, foi presidente da federação local entre 2012 e 2021

— Dejan Nemec, da Eslovênia, é o treinador de goleiros do ND Beltinci, da segunda divisão eslovena

— Saša Gajser, da Eslovênia, é auxiliar técnico do Anorthosis Famagusta, do Chipre

— Ricardo, de Portugal, é treinador de goleiros da seleção sub-17 local

— Federico Elduayén, do Uruguai, é treinador de goleiros do Audax Italiano, do Chile

Deixe uma resposta

TopBack to Top
%d blogueiros gostam disto: