Revista Série Z APITA O ÁRBITRO,BOLA DE CAPOTÃO,SÃO PAULO Mirassol na Série B 2023: mais um clube da Grande Rio Preto na divisão

Mirassol na Série B 2023: mais um clube da Grande Rio Preto na divisão



Anúncios

Região intermediária (ou administrativa), imediata e metropolitana! O início desse texto é importante para delimitarmos o que iremos escrever aqui. Ao norte do estado de São Paulo, São José do Rio Preto é maior cidade da região, com 469 mil habitantes, e com a economia mais forte. Voltando para a primeira linha desse texto, Rio Preto é a cidade que dá nome a essas regiões nesta parte paulista.

As duas primeiras nomenclaturas foram definidas pelo IBGE em 2017 como uma revisão dos termos mesorregião e microrregião. As imediatas têm relação com a rede urbana com uma cidade que se destaca dentro desse local onde se tem uma dependência na busca de bens, trabalho e prestação de serviços. Enquanto isso, as intermediárias são um conjunto de imediatas com uma capital regional, que neste caso é São José do Rio Preto. A Região Intermediária de São José do Rio Preto tem quase cem municípios, enquanto a Imediata do município conta com 36, um a menos que a Região Metropolitana! Sim, em 2021, o governo estadual definiu por meio de lei, a formação da RM de São José do Rio Preto, uma nova região, que visa uma partilha de indústrias, infraestruturas e habitações, com um planejamento de desenvolvimento socioeconômico de maneira unida.

Tudo isso para definirmos quais clubes iremos falar por aqui. Mas porque tudo isso? Mirassol é uma cidade que faz divisa com São José do Rio Preto, terra do América, que por seis vezes disputou a Série B. Sendo assim, nas três regiões estão juntas. Quando o Mirassol e Novorizontino subiram na Série D 2020, muitos veículos de mídia relataram que a região voltava a ter força no futebol nacional. Pois bem, Novo Horizonte não entrou na formação da Região Metropolitana, mas faz parte da Imediata, um município que teve dois clubes na segunda divisão nacional, conforme explicamos em um texto anterior. Entre as cem cidades da Intermediária, uma outra teve participante em Série B: Catanduva. São dessas três cidades que saíram os representantes históricos da Grande Rio Preto na Série B até a chegada do quarto clube, o Mirassol, que debutará na divisão em 2013.

Anúncios

Grande força histórica do futebol interiorano, o América, de São José do Rio Preto, vive um período terrível da história do clube onde está há oito anos na última divisão estadual, sendo que é um dos times com mais aparições na primeira divisão, com 44 disputas. O Diabo Vermelho é o clube da região com mais participações na Série B, com seis disputas.

Depois de participar da Série A 1978, o América disputou a segunda divisão pela primeira vez em 1980. A campanha na primeira fase foi invicta com seis vitórias e um empate, o que garantiu a vaga no mata-mata, que definiria a entrada desses clubes na segunda fase da Série A, o que aconteceu ao vencer o Juventus com um placar de 2 a 0 para cada time, mas com vantagem para o Brasinha. No ano seguinte, mais uma participação, mas bem diferente com a lanterna do último grupo que tinha o Palmeiras na disputa.

Em 1985, a terceira participação do Rubro chegou, mas com apenas duas partidas, pois a competição era em mata-mata. Logo na primeira fase, o time ficou no empate agregado com o Goytacaz, mas foi derrotado nos pênaltis.

Quatro anos depois houve a única Série B com três times da Grande Rio Preto, com as estreias de Catanduva e Novo Horizonte, além do América. Foram dos Grêmios Esportivos, o Catanduvense e o Novorizontino – o primeiro. Foi a única participação catanduvense em qualquer divisão nacional, enquanto Novo Horizonte começava sua história.

Em uma edição aberta, devido ao cancelamento da Série C, o GEN teve campanha de duas vitórias, cinco empates e três derrotas no Grupo J, mas não chegou na segunda fase. No Grupo I, Catanduvense e América tiveram o primeiro encontro “rio-pretense” na Série B, com dois empates (1×1 e 0x0). O Catanduvense teve uma melhor campanha, quando se classificou e o América ficou mais uma vez na lanterna.

Anúncios

Dois anos depois da participação tripla, o GEN disputou pela segunda vez.  A campanha do clube do estádio Doutor Jorge Ismael de Biasi foi muito boa, com a liderança garantida com sete vitórias, cinco empates e duas derrotas, com o segundo melhor ataque geral, com 26 tentos anotados, mas que sucumbiu logo na etapa seguinte contra o Noroeste.

O América retornou para a disputa em 1994 após vencer o Grupo A da seletiva da disputa – que teve o Novorizontino em segundo lugar. Novamente, a campanha americana não rendeu classificação para a segunda fase, que quase chegou na última rodada quando dependia de uma derrota do Goiatuba. O grupo ainda tinha Goiás, Athletico, Londrina e Barra do Garças.

Na temporada seguinte, novamente, houve um encontro entre clubes da região com partida entre Novorizontino e América, a última participação de ambos. No Grupo C, ao lado de Athletico, Goiatuba, Americano e Barra do Garças, o GEN avançou de fase e o América, não. No terceiro jogo, empate por 2 a 2 em Novo Horizonte, mas na sexta rodada, o América fez 1 a 0. Terminava assim, a primeira era da Grande Rio Preto na divisão.

O hiato foi quebrado com o acesso do Grêmio Novorizontino, que foi fundado em 2010 e fez da cidade a primeira que teve dois times na divisão. Depois de subir da Série C 2021, o clube foi rebaixado no Campeonato Paulista, o que fez com que o elenco fosse remodelado. O time luta para permanecer na divisão e fazer com que a região volte a ter um encontro em 2023 com um Mirassol x Novorizontino.

Anúncios

Deixe uma resposta

TopBack to Top
%d blogueiros gostam disto: