Revista Série Z BOLA DE CAPOTÃO,BRASIL Brasileirão 2002: os jogadores que continuam ativos 20 anos depois do último mata-mata

Brasileirão 2002: os jogadores que continuam ativos 20 anos depois do último mata-mata



Anúncios

*Atualizado em 26 de julho de 2022, às 13h06

Há 20 anos, o Campeonato Brasileiro da Série A tinha a última edição no formato misto, com a primeira fase em pontos corridos e a etapa final no mata-mata. Muitos nostálgicos ainda não conseguiram superar a mudança para os pontos corridos. Foi uma edição com vários jogadores sendo revelados, alguns pentacampeões mundiais em campo, a volta de Paysandu e Figueirense para a elite, os rebaixamentos de Palmeiras e Botafogo, a última participação do Gama na Série A e o título dos Meninos da Vila para cima do grande time que o Corinthians tinha.

Nós fomos até o baú para conferir cada elenco dos 26 clubes da edição para saber quais jogadores continuam ativos em 2022. É uma pesquisa histórica com mais de 300 atletas conferidos (fizemos uma régua de idades para delimitar a pesquisa). Desde a permanência em clubes grandes até a chegada em alternativos, encontramos 22 jogadores ativos no atual ano. Apenas Coritiba, Figueirense, Grêmio, Paysandu, Ponte Preta, Portuguesa, São Caetano e São Paulo não contam com jogadores atuando. A lista é bem variada e você confere abaixo.

Evaldo – Athletico Paranaense > Atlético Malveira (Portugal)

Segundo o oGol.com, o zagueiro Evaldo encerrou a carreira logo que terminou a temporada 2021/22 do futebol europeu. Na atual temporada, ele dividiu as atenções como jogador e treinador na primeira parte do quinto nível do futebol de Portugal, quando defendeu o Atlético Malveira, da primeira divisão distrital de Lisboa. Em 2002, ele fez duas partidas com o Athletico na fase final da primeira fase, quando o então campeão nacional não lutava por classificação e nem para fugir do descenso. Depois de defender o Furacão, ele foi para o Democrata de Sete Lagoas em 2003 e ao final da temporada foi para o time B do Porto. Chegou a ter duas participações no título nacional de 2003/04. Teve duas décadas no futebol português atuando no Marítimo, Braga, Sporting, Gil Vicente, Moreirense, Cova da Piedade e Toreense – em 2012/13 teve uma passagem no La Coruña.

Juninho Arcanjo – Atlético Mineiro > Mamoré

Contra Ponte Preta (9ª rodada) e Figueirense (16ª), Juninho Arcanjo fez as duas aparições na edição, quando entrou no decorrer das partidas. Nas duas temporadas posteriores, ele fez mais de 80 jogos pelo Galo. Em 2007, foi jogar pelo Nacional (Portugal). De 2012 para cá, ele rodou o Brasil, com maior destaque no Altos, quando subiu na Série D 2020. Nesta temporada, ele defendeu o River no Campeonato Piauiense e deve ser anunciando em breve pelo Mamoré, que disputará a terceira divisão mineira.

Daniel Alves – Bahia > Pumas

Esse dispensa apresentações. Ele é simplesmente o jogador com mais títulos na história do futebol mundial, com 42 taças. Ídolo no Sevilla e Barcelona, onde voltou essa temporada e foi dispensado. Em julho de 2022 foi anunciado pelo Pumas. O lateral virou Dani Alves para os europeus, mas atualmente busca um clube para disputar sua terceira Copa do Mundo. No Brasileirão 2002, ele fez 19 jogos e um gol, ajudando a equipe na permanência.

Henrique Gomes – Botafogo > Yellow Boys Weiler-la-tour (Luxemburgo)

Esse é certo que jogou a última temporada na segunda divisão luxemburguesa, mas não tão certo se faz parte do elenco profissional do Glorioso em 2002. Não há registros sobre partidas pelo clube, onde esteve entre 2000 e 2005. Desde 2006 atua no futebol europeu, com uma temporada na Bélgica, 11 na França e cinco em Luxemburgo, sendo as duas últimas no Yellow Boys.

Anúncios

Sidão – Corinthians > Atlético Catarinense

Formado no Parque São Jorge, Sidão era o quarto goleiro do time vice-campeão brasileiro da temporada. Ele teve mais jogos pelo time B na temporada que chegou na semifinal da quinta divisão paulista. Depois disso e “surgiu” no futebol aos 34 anos na campanha do Osasco Audax, vice-campeão paulista de 2016. Depois de rodar por grandes equipes, ele acertou com o Atlético Catarinense, da segunda divisão local.

Augusto Recife – Cruzeiro > URT

Em 2003, ele foi o motorzinho do meio-campo do Cruzeiro, campeão brasileiro, mas desde 2001 já tinha aparições pelo clube, tanto que em 2002 foi titular em 15 partidas do time que brigou por vaga na segunda fase. A carreira se avistava consistente na Série A com passagens por Internacional, Flamengo, Santa Cruz e Ipatinga. Depois disso, rodou o país, onde teve bons anos pelo Sâo Caetano e Paysandu. Em 2022, começou o ano no São Paulo Crystal e está jogando a Série D pela URT.

Felipe Melo – Flamengo > Fluminense

Outro que compõe essa lista que é bem conhecido é o volante Felipe Melo. A passagem pelo time profissional do Flamengo foi rápida, mas em 2002 era praticamente ele e mais dez entre os titulares. Felipe Melo atuou em 21 partidas do Brasileirão, sendo todas como titular, e dois gols – na temporada fez 58 jogos, sendo 36 como titular, e nove gols. A carreira de Felipe foi muito boa na Europa, com transferências para Juventus e Internazionale. Na volta ao Brasil, conquistou duas Libertadores com o Palmeiras até acertar com o Fluminense, clube que torcia na infância.

Fernando Henrique – Fluminense > Oeste

Depois de quatro anos na base, Fernando Henrique chegou ao profissional do Fluminense onde foi segundo goleiro no começo da temporada e chegou a figurar em alguns jogos da Série A, mas sempre disputando as partidas do sub-20. Não teve nenhuma aparição na edição. Ficou até 2010 no clube para rodar o Brasil desde então. Está desde o segundo semestre defendendo o Oeste.

Anúncios

Emerson – Gama > Capital

Foi a primeira temporada de profissional de Emerson, zagueiro que foi muito bem no Avaí, Coritiba e Botafogo posteriormente. Formado no Gama, ele não entrou em campo em 2002. Em 2011, foi convocado para o segundo jogo do Superclássico das Américas, mas não entrou. Em 2022, ele atuou no Capital, mas não encerrou a carreira. Em contato com ele, o zagueiro disse que quer voltar a disputar um campeonato estadual em 2023 e depois disso se aposentar.

Rodrigo Calaça – Goiás > Juazeirense

Goleiro do Esmeraldino por uma década, Rodrigo Calaça sempre se mostrou seguro, mas era apenas opção a Harlei, ídolo do clube. Em 2002, ele era terceiro arqueiro do time, atrás de Harlei e Kiko. Em 2003, teve a temporada com mais jogos, com 29 aparições. Em 2011, ele deixou a equipe e passou a rodar o Brasil, com passagens por Portuguesa, Itumbiara, Anapolina, Gama e Juazeirense, clube onde está desde 2021.

Cairo – Guarani > Pouso Alegre

Para quem tem o Guia da Revista Placar do Brasileirão 2002 verá a foto de Cairo como um dos goleiros do elenco e no time-base da equipe. Porém, apenas no pré-Série A que era cotado como titular, pois o Bugre contratou Edervan e Adinam para a sequência. Sem maiores chances no profissional do Guarani, ele rodou o Brasil, chegou a atuar no Japão e está há quatro anos no Pouso Alegre, onde se tornou ídolo e participou da ascensão do clube que saiu da terceira divisão mineira até a Série D desse ano.

Fabiano Heves – Internacional > São Paulo (RS)

Com 19 anos, Fabiano era o terceiro goleiro do Internacional em 2002. Ele não entrou em nenhuma partida do Brasileirão e não teve tantas chances no profissional. Depois disso, rodou por vários estados e chegou a jogar no Peru e Paraguai. Em 2022, ele foi goleiro do São Paulo de Rio Grande, que foi rebaixado para a terceira divisão estadual.

Anúncios

Cleiton – Internacional > Esportivo

Com 41 anos, o zagueiro Cleiton teve a primeira temporada profissional no Internacional em 2002, quando fez 12 jogos. Porém, foi o único ano no clube. Depois, passou a rodar a região Sul. O momento de maior estabilidade foi no Coritiba, onde ficou entre 2010 e 2013, com alguns hiatos. Depois, continuou sua jornada pelo Sul, mas com algumas saídas. Em 2022, jogou no União Frederiquense e Esportivo, ambos clubes gaúchos.

Dante – Juventude > Nice (França)

Em 2002, o zagueiro Dante teve a primeira temporada como profissional e fez 33 partidas no geral, mas sem registros de titularidade na Série A. No ano seguinte, chamou atenção do Lille e começou a consistente carreira na Europa, que rendeu a passagem vitoriosa pelo Bayern Munique e a disputa da Copa do Mundo 2014 – apesar dos pesares. Desde 2016 defende o Nice e renovou contrato até 2023.

Nenê – Palmeiras > Vasco

Mais um jogador que esteve em 2002 que ficou bem conhecido. Depois de boa passagem pelo Paulista de Jundiaí, ele chegou no Palmeiras, onde fez 24 jogos e cinco gols na campanha de rebaixamento. Foi a única temporada no clube e depois ganhou o Brasil e o mundo, jogando no Santos, Mallorca, Espanyol, Monaco, Paris Saint-Germain, São Paulo, Fluminense, entre outros. Com 41 anos, ele é bem importante no time do Vasco atualmente.

Anselmo – Palmeiras > São Paulo Crystal

Boa parte das vezes que Anselmo é contratado por um clube, o título ou parte do texto o cita como “ex-Palmeiras”, onde foi formado e jogou profissionalmente em 2002 e 2003. Há 20 anos, fez apenas duas partidas logo no início da disputa. Rodou por todo Brasil e jogou no Catar, Suécia e China. Apareceu na Série A por mais três vezes: Ponte Preta (2004), Paysandu (2005) e Atlético Goianiense (2011). Em 2022, ele fez parte do elenco do São Paulo Crystal no Paraibano. Em contato com ele, o jogador afirmou que teve proposta após a saída do time, mas preferiu ficar perto da família, mas já tem negociações para a próxima temporada, por isso está incluso aqui.

Anúncios

Vágner Love – Palmeiras > Midtjylland (Dinamarca)

Vital no título da Série B 2003, Vágner Love teve duas entradas na campanha de queda de 2002, quando entrou na sétima e oitava rodada nos jogos contra Paraná e Coritiba. Em 2004, ele partiu para o CSKA Moscou, onde se tornou ídolo e foi campeão da Copa UEFA 2004/05. No último semestre, defendeu o clube dinamarquês, que é uma filial brasileira no país, mas saiu e está sem clube.

Fernando Lombardi – Paraná > Desportivo Brasil

Entre 2001 e 2005, o zagueiro jogou no Paraná. Ainda em 2002, começava a trajetória como profissional e fez duas partidas no final da primeira fase do Brasileirão 2002. Lombardi depois de sair do clube viveu uma carreira de andarilho com poucos clubes onde fez duas ou mais temporadas, como no Paysandu, entre 2014 e 2017. Nesta temporada, aos 40 anos, ele fez o primeiro semestre no Desportivo Brasil, jogou pelo Veranópolis na segunda divisão gaúcha e retornou ao clube de Porto Feliz para disputar a Copa Paulista.

Diego – Santos > Flamengo

Melhor meia armador do Brasileiro 2002 e campeão da edição, Diego foi uma das grandes revelações da disputa, quando fez 28 jogos e dez gols. Em 2004, ele iniciou a passagem pela Europa, onde defendeu Porto, Werder Bremen, Juventus, Wolfsburg, Atlético de Madrid e Fenerbahce, conquistando oito títulos. Desde 2016, defende o Flamengo.

Douglas – Santos > Chainat Hornbill (Tailândia)

Além dos protagonistas, outro jogador que foi lançado em 2002 pelo Santos foi o atacante Douglas, que participou de sete partidas da campanha do título, sendo apenas uma como titular. Ele fez um gol na campanha, o último na partida contra o Figueirense. Em 2004, foi emprestado ao Goiás, voltou ao Santos na temporada seguinte e ganhou o mundo, atuando na Suíça, Espanha, Itália e Tailândia, onde está há 12 anos. Em 2021/22, ele atuou no Chainat Hornbill, da segunda divisão local. Em contato conosco, ele, aos 40 anos, confirmou que tem duas propostas para continuar no escalão e ter mais dois anos como jogador, enquanto se prepara fechar todas as licenças da federação e se tornar treinador.

Fábio – Vasco > Fluminense

Titular em 21 das 25 partidas do Vasco na Série A 2002, o goleiro Fábio saiu do clube em 2005 para ser tornar o jogador com mais partidas na história do Cruzeiro, com 976 jogos. Nesse ano, ele deixou a equipe com críticas a nova direção pela maneira como foi feita para jogar pelo Fluminense.

Leandro Domingues – Vitória > Betim Futebol

Formado no rubro-negro, Leandro Domingues fez a primeira aparição no time profissional em 2001, com um jogo, e ano seguinte não esteve em nenhuma partida da Série A 2002, mas fazia parte do elenco. Ficou no clube até 2006. A maior parte da carreira de Leandro foi no Japão, com dez temporadas. Em 2022, ele foi anunciado pelo Betim, onde se recupera de lesão após jogar apenas os 45 minutos iniciais da estreia da segunda divisão mineira.

Anúncios

Casos incertos

  • Coritiba | O goleiro Juninho, que tinha 21 anos, fez três partidas pelo Coritiba na reta final da disputa. Em 2017, ele se aposentou, mas continua jogando a Suburbana, campeonato amador de Curitiba, onde atualmente defende o Operário Pilarzinho;
  • Internacional | O meia-atacante Tiago Freitas, com 41 anos, teve uma séria lesão em novembro de 2021 jogando pelo Ala-Arriba, de Portugal, no quinto nível nacional. Como não encontramos registros sobre a decisão em continuar ou não jogando, preferimos colocá-lo nessa lista;
  • Portuguesa | O meia Rafinha (ex-Coritiba e Cruzeiro) e o atacante Ricardo Oliveira (ex-Santos e São Paulo) não anunciaram a aposentadoria, mas estão sem clubes desde que saíram do Coritiba (2021) e Athletic-MG (2022), respectivamente. Por essa indecisão, colocamos os dois nessa posição;
  • Santos | O volante Wellington fez 12 jogos na Série A 2002. No ano seguinte fez a última temporada pelo clube. Depois rodou o país e atuou em três países estrangeiros. Em 2015, teve a primeira aposentadoria no Juventus, mas esse ano voltou ao futebol para disputar o sexto nível de Portugal, onde fez quatro gols pelo AD Refojos. Porém, não há informação se foi uma volta pontual;
  • Vasco | O meia Morais jogou pelo Murici no Alagoano 2022, sendo que a última partida dele havia sido em maio de 2019. O bom desempenho chamou atenção do ASA, que está na Série D, mas uma lesão impediu o acerto do jogador que admitiu que iria parar novamente de jogar;
  • Vitória | Outro jogador que atuou em 2022, mas não anunciou se continua no futebol é o centroavante Alecsandro, que fez seis partidas e três gols há dez anos. Nesta temporada, ele jogou no Primavera, da segunda divisão paulista. Nas redes sociais, ele mostra o dia a dia de outros negócios que construiu durante a carreira. Mais um que está na mesma situação é o volante Ramalho (ex-São Paulo, Goiás e Santo André), que fez 20 jogos e um gol na campanha. Desde 2017, ele está jogando no futebol sergipano, mas nas duas últimas temporadas disputou apenas o Estadual pelo Atlético Gloriense.
Anúncios

Alguns casos curiosos

  • Coritiba e Cruzeiro | Os laterais Adriano (Coritiba) e Maicon (Cruzeiro) estão inativos, mas não anunciaram a aposentadoria de forma oficial. Adriano “cavou” uma vaga no próprio Coritiba após deixar o Eupen em 2021. Maicon fez dois jogos na temporada passada pelo Tre Penne, de San Marino;
  • Cruzeiro | Em 2022, o volante Jardel defendeu o União Carmolandense, pelo Campeonato Tocantinense, após três anos inativo. Há 20 anos, ele fez parte do elenco do Cruzeiro, mas não entrou em campo. De Araguaína, ele é o único tocantinense que tem uma tríplice coroa. Em 2019, ele encerrou oficialmente a carreira no Confiança, mas resolveu ajudar o time do estado nessa temporada;
  • Flamengo | De qualidade duvidosa, Jean entrou apenas uma vez em campo em 2002 com a camisa do Flamengo. No Brasileirão chegou a ser relacionado, mas não entrou em campo. Esse ano, ele fez duas partidas pelo Lemense, do Paulista Série A2, após estar longe dos gramados há quatro anos;
  • Flamengo | O zagueiro Carlos Renan foi formado no clube e fez uma aparição na disputa. Em 2004, deixou o clube para onde retornou em 2022 como scout, trabalhando no Centro de Inteligência de Mercado do Flamengo (CimFla);
  • Paraná | Outro jogador que está no futebol amador e no Operário Pilarzinho é o meia Wiliam Kozlowski, que entrou nas duas últimas partidas do Paraná na primeira fase da edição.

Leia uma matéria especial sobre o Caxias no Guia do Brasileirão 2002 da Revista Placar

Deixe uma resposta

TopBack to Top
%d blogueiros gostam disto: