Conheça o brasileiro no radar da seleção australiana e apontado como joia de clube do City Football Group

Eduardo Vieira, editor do perfil A-League Brasil no Twitter (@aleaguebr)

Filho de ex-atacante brasileiro, nascido na Holanda, mas criado na Austrália, Raphael Borges Rodrigues é a aposta do Melbourne City para os próximos anos

Nas últimas duas décadas foram muitos os brasileiros que passaram pelo futebol australiano. Nomes como Romário, Juninho Paulista, Jardel, Amaral e mais recentemente Bobô, estão entre as figuras que vestiram a camisa de clubes na terra dos cangurus. Porém nenhum destes fez o caminho que traça Raphael Borges Rodrigues, jovem apontado como grande joia das categorias de base do Melbourne City, clube do City Football Group na Austrália, e com possibilidade de defender a seleção do país num futuro próximo.

Aos 18 anos, completados no último dia 11 de setembro, Raphael esteve no elenco do Melbourne City que levantou o troféu de campeão da A-League 20/21, batendo o Sydney FC, de Bobô, na final. Se prepara agora para a sua terceira temporada pelo clube, onde atua como atacante pelos lados, e vai disputar posição com jogadores como Mathew Leckie, Andrew Nabbout e Jamie Maclaren, figuras constantes na Seleção Australiana.

Considerado um dos grandes talentos da equipe para o futuro, o jovem nasceu em Maastricht, na Holanda, enquanto seu pai, o ex-atacante Cristiano dos Santos Rodrigues, atuava pelo Roda JC. Chegou aos cinco anos de idade na Austrália, mas não titubeia quando o perguntam sua nacionalidade.

“Quando me perguntam eu digo que sou brasileiro. Nasci na Holanda, mas não tenho passaporte europeu, então eu sou brasileiro e australiano. Em casa só falamos português, cresci indo ver minha família no Rio de Janeiro sempre que podíamos, então me identifico muito com o Brasil, apesar de ter crescido aqui”, diz Raphael.

Seu pai Cristiano foi um andarilho da bola. Sem ter atuado como profissional no Brasil, passou por clubes na Holanda, Suíça, Malta e Honduras. Em 2008 trouxe esposa e filhos para a Austrália para defender o Adelaide United, clube pelo qual havia passado Romário. Foram duas temporadas pelos Reds e mais sucesso que o baixinho, 54 jogos e 12 gols marcados, mas a maior conquista veio fora de campo. A fácil adaptação fez com que Adelaide passasse a ser a nova casa da família Borges Rodrigues, que decidiu fixar residência e criar os pequenos Matheus e Raphael no país.

Raphael começou a jogar bola ao lado do irmão em  escolinhas de futebol de Adelaide e em 2018 teve a oportunidade de integrar as categorias de base do Melbourne City. O bom futebol agradou e já aos 16 anos Raphael estava fazendo parte do elenco profissional na temporada 19/20,. Indo para sua terceira temporada como profissional, o garoto mantém a cabeça no lugar ao falar sobre a oportunidade que vem tendo e não esquece das responsabilidades que a idade o impõe.

“Para mim é uma experiência muito boa. Sei que sou muito novo, mas trabalhei muito forte para isso. Sorte eu acho que não foi. Sou abençoado por Deus e tenho o apoio da minha família ao meu lado. Então é só seguir trabalhando no futebol e escola né? (risos) O que eu tô tentando fazer agora é acabar a escola também”, brinca o jovem, estudante do Year 12 da Parade College’s Bundoora, em Melbourne.

A escola em que Raphael estuda foi escolhida recentemente como a primeira sede de uma escola do Manchester City na Austrália e ele foi convidado para ser o garoto propaganda do lançamento da parceria.

Sobre os planos para o futuro, Raphael mais uma vez mostra responsabilidade e é sincero ao responder sobre a possibilidade de um dia jogar no futebol brasileiro.

“Meus planos agora são como falei terminar a escola, focar no trabalho aqui no Melbourne City e quem sabe um dia poder jogar na Europa. Não descarto o futebol brasileiro se um dia aparecer a oportunidade, mas não penso no momento em jogar por lá”, explica.

Quando perguntado sobre para qual time torce no Brasil, ele abre o sorrisão que entrega a boa fase do clube do coração da família. “Eu e minha família toda somos flamenguistas (risos)”, conta orgulhoso, relembrando a contratação de Andreas Pereira, com história bem parecida com a dele.

Jogadores com história parecida com a de Raphael, inclusive, não faltam. Matheus Nunes, que decidiu recusar uma convocação da Seleção Brasileira é o mais recente. Embora ainda não tenha sido convocado para as seleções de base da Austrália, Raphael sempre esteve no radar dos Young Socceroos, mas não esconde sua preferência, embora reconheça suas possibilidades de momento. 

“Se eu pudesse escolher seria a brasileira, mas sei que estaria mais próximo da Seleção Australiana por estar aqui. Se aparecer a oportunidade defenderei com muito orgulho a Austrália. Mas é algo ainda distante, prefiro pensar no Melbourne City no momento”.

Raphael atuou em cinco partidas pela equipe principal do City e ainda não balançou as redes. Tem tido mais oportunidades no time Sub-23, jogando pela National Premier League (NPL), liga secundária no futebol do país. Esse ano marcou cinco gols na competição, paralisada pela recente onda de casos de COVID-19. Já mais acostumado com o ambiente após duas temporadas no profissional, espera-se que tenha mais chances na A-League 21/22, marcada para começar no dia 30 de outubro.

About the author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: