O que esperar do Paranaense Segunda Divisão 2021?

Anúncios

Nas últimas temporadas, a Divisão de Acesso do Paraná foi marcada pela imprevisibilidade. Naturalmente, os clubes que vinham do rebaixamento se colocavam como favoritos ao acesso, o que acabou se confirmando com 50% dos casos das duas últimas temporadas. Para essa temporada, União Beltrão e PSTC são as equipes que vêm do descenso, com bom prospecto para a disputa.

O União desde que voltou a disputar a segunda divisão nunca ficou duas temporadas seguidas no escalão e, para repetir isso, aposta novamente em um elenco experiente, sendo que nesse ano foi na Série D se reforçar, com destaque para o goleiro César Tanaka e o zagueiro Alisson Brand, ambos do América de Natal. No PSTC, novamente, um elenco jovem foi formado, apostando muito em Reginaldo Vital, que é tricampeão da divisão.

Entre os remanescentes da última edição, o que mais sofre pressão é o São Joseense, que vem repaginado visualmente, com um novo escudo. A decepção foi bem grande em 2020, quando a equipe era cotada para subir, mas chegou a perigar em cair. Em 2021, o time novamente se destaca no “mercado de transferências”, sendo que é o clube com mais famosos, como o zagueiro Dirceu (ex-Londrina) e o atacante Lúcio Flávio (ex-Guaratinguetá, Paraná e Fortaleza). Além disso, teve a permanência do lateral Ricardinho e a chegada do atacante Gabriel Barcos, experiente na divisão, o goleiro Lucas Macanhan e o volante Victor Feitosa, dupla que estava disputando a Série D por Rio Branco e Madureira, respectivamente.

Anúncios

Andraus e Apucarana Sports são dois clubes que representam bem essa imprevisibilidade da divisão. Sempre cotados como coadjuvantes, as equipes mudaram de patamar, com um trabalho marcado pela quietude. Para o Andraus, a permanência sem sustos em 2020, teve como grande foco, a manutenção da base campeã da Terceirona Paranaense, com destaque para o experiente Paulo Henrique e o treinador Norberto Lemos, que estarão em campo nessa edição. Para o Apucarana, o gosto do acesso ficou muito perto em 2019 e 2020, com um time bastante experiente, algo que permanece para a nova temporada, sendo o segundo time mais velho da divisão, com média de 26,74 anos. O time se destaca pelos nomes de velhos conhecidos do futebol local, como o goleiro Flaysmar, o volante Sato, o meia Alex Ricardo e os atacantes Diego Paulista e Mateus Paraná.

O time mais experiente do Paranaense Segunda Divisão 2021 é o Araucária, com média de 26,91 anos, muito por ter cinco jogadores acima de 34 anos: o goleiro Carlinhos (34), os zagueiros Leandro Silva (35) e Alex Fraga (35) e os volantes Xaves (35) e Camargo (34). O time foi muito bem com essa receita na temporada passada, quando disputou a semifinal, mas não foi capaz de competir bem com o Maringá.

O Prudentópolis é uma mistura dos sentimentos entre União e São Joseense. Por um lado, não quer ficar pelo quarto ano seguido na divisão, ainda mais por ter conseguido disputar a elite por quatro vezes desde 2014. Isso gera uma pressão, como acontece com o São Joseense. Porém, o elenco para a temporada ainda terá que se provar dentro de campo, para fazer o torcedor acreditar que o acesso pode ser possível.

Por fim, o Nacional de Rolândia é uma verdadeira montanha russa. Em 2019, foi campeão da Taça FPF, garantindo vaga na Série D 2020. Na preparação para o nacional, uma tragédia, com a morte do presidente José Danilson Alves de Oliveira, esfaqueado por um ex-jogador do clube, Vinícius Corsini, que confessou o crime e irá a júri popular. Depois disso, o time fez péssima Série D e quase caiu na Divisão de Acesso. Para esse ano, foi vendido para um grupo de empresários de Maringá, que formou a comissão técnica com locais, além de ir no Maringá FC para contratar três jogadores que foram reserva na disputa estadual: o zagueiro Áquila, o lateral Guilherme Alves e o meia Danilinho.

Para completar os dez clubes da disputa, os campeões da Terceirona Paranaense 2020: Iguaçu e Verê. O clube de União da Vitória não disputa a divisão há dez anos. Por pouco não disputou ano passado, com a “quase desistência” do Batel. Para 2021, o time reformulou todo o elenco campeão da Terceirona Paranaense, mas manteve Richard Malka no comando. Do lado do Verê, o foco continua sendo apostar em jovens. O time era um dos que mais tinha a obsessão pelo acesso e merecia de fato. É o elenco mais novo da disputa, com a maioria formada na base, que já foi campeã estadual sub-18 há três anos.

Assim, a Segunda Divisão do Paranaense se inicia, com duas vagas para o acesso. Na primeira fase, quatro equipes lutam pelas vagas na semifinal, enquanto teremos dois rebaixados. As fichas foram lançadas: quem conseguirá o acesso?


Para saber mais sobre a divisão, ouça o episódio dos amigos do podcast Bichos do Paraná

About the author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: