Guia do Carioca Série C 2021, a quinta divisão do Rio

Anúncios

Nada é mais alternativo na temporada 2021 do que a implantação da quinta divisão do futebol fluminense, o Carioca Série C, após a remodelação da pirâmide estadual. Sem público e com os velhos problemas das divisões menores do Rio, o Carioca Série C deverá ter um festival de WOs, incluindo a primeira rodada, que já teve confirmada a não entrada de Brasileirinho e EC Resende.

Sobre a competição, os 16 clubes (o EC Resende não disputará e explicamos adiante) se enfrentam em turno único, com os quatro primeiros se garantindo na semifinal. Os finalistas disputam a taça e conseguem o acesso à Série B2 2022. Pelo que você lerá adiante, as forças estão bem divididas, sobre quem são os favoritos para a subida.

Atlético Carioca

Nenhum clube da divisão chamou tanta atenção por motivos ruins do que o Atlético Carioca, seja por uma promoção para um jantar com uma atriz pornô ou pela contratação do goleiro Bruno, condenado pelo assassinato de Eliza Samudio. Fora desse contexto, o treinador Matheus Kabrini, com experiência no Heliópolis, terá um time jovem, onde o mais veterano é Marcelão, centroavante muito forte no jogo de corpo.

Barcelona

A queda do Barça Carioca é sintomática. Em 2018, o clube estava na segunda divisão estadual e no ano passado caiu da Série B2, que era o terceiro nível. Wagner Andrade será o comandante da equipe, após sair do sub-20 do Macaé. O time terá maioria formado por jovens, a tendência do campeonato, mas com alguns experientes como o defensor Weslly (ex-Queimados) e o goleiro Jason Oliveira (ex-Nova Cidade)

Bela Vista

Devido as restrições da pandemia em Maricá, onde estão treinando, o Bela Vista foi um dos últimos clubes a começar a preparação para a quinta divisão. Apesar do rebaixamento no ano passado, a base da equipe tem alguns remanescentes, como os zagueiros Matheus Chagas e Fábio Henrique, o lateral Marcelinho, os meias Rodriguinho, Brendo e Paulinho e os atacantes Jhonny e Luigi.

Anúncios

SE Belford Roxo

Um dos favoritos ao acesso, o Belford Roxo carrega o nome da cidade que teve homônimos nas divisões menores do Rio, mas trata-se de um novo clube, que tem ligação “indireta” com a escola de samba Inocentes, pois as cores e o presidente são os mesmos. O CNPJ do clube era o usado pelo União de Marechal, que acabou mudando de nome e sede. É o time de maior mescla no elenco, com todas as idades possíveis, como Allan, 36 anos, atacante que é figura carimbada das divisões de acesso do Rio; o meia Marcos Felipe, 29, que esteve participou das últimas três edições da Série D pelo São Raimundo, e o volante Matheus Oliveira, 25, que disputou o Paranaense pelo Cascavel CR.

Brasileirinho

Instituto Quezia Santos Leopoldo Brasileirinho Clube Social, esse é o nome todo garboso do Brasileirinho. O time tem três participações na quarta divisão, sendo que a última foi em 2019, onde fez boa campanha. A equipe corre risco de não entrar em campo nas primeiras rodadas, devido a falta de inscrições. Se tiver um tive deve ser formado por jogadores da categoria de base, que vem disputando a Copa União, onde está fazendo péssima campanha.

Búzios

Armação dos Búzios é sinônimo de turismo, mas quando o assunto é futebol, a cidade deixa a desejar. A equipe mais tradicional é a Sociedade Esportiva Búzios, que recém completou 50 anos de história. O time será jovem, com jogadores nascidos na Região dos Lagos. A estrela do clube é um dirigente: Luiz Carlos Gonçalves, conhecido como Cabelada, que ficou muito conhecido como árbitro de futebol e ter aparecido na série “Doutor Castor” no Globoplay.

Anúncios

CAAC Brasil

Religião e futebol é a mistura que fez com que o CAAC Brasil fosse fundado. A equipe foi criada após um torneio de futebol entre igrejas, que depois disso se reuniram para formar apenas um time. Em 2018, o trabalho ganhou a filiação profissional, mas ainda com “vínculo religioso”, com o hino tendo trechos que se assemelham com um louvor. Para a Série C, o time será experiente, com maior destaque para o goleiro Dida, 35 anos, com passagem por seis clubes cariocas.

Canto do Rio

No quesito tradição, o Canto do Rio ocupa o topo entre os clubes da Série C 2021. São 24 participações na elite carioca, o niteroiense com mais participações. A preparação do time foi marcada por uma parceria polêmica, que iria mudar a nomenclatura para Los Angeles Atlantic Soccer Canto do Rio, com uma parceria com um grupo estadunidense, mas que esbarrou em questões burocráticas. O time não começou a treinar e corre o risco de não entrar em campo.

Império Serrano

Nada é mais inusitado no Carioca Série C do que a presença do Império Serrano, campeão do Carnaval por nove vezes. Em março, o clube revelou a entrada no futebol profissional com base nos projetos esportivos de dentro da agremiação. Marcelo Mariano saiu da categoria de base do Bangu para assumir o projeto. Três nomes se destacam no elenco, que é forte para o padrão da divisão: o atacante Thompson, que foi a primeira contratação da história; o zagueiro Anderson Calado, vindo do Porto Velho, e o experiente goleiro Léo Flores, 42 anos, ídolo do Ceres.

Anúncios

Independente

A volta do Tricolor Praiano deixa Macaé com três clubes no futebol profissional carioca. São três anos distante das competições estaduais, o clube focou as atividades no futebol amador municipal e de base. Na Série C, o foco será em um time bem jovem, com atletas nascidos na região da cidade-sede. O Independente foi campeão da terceira divisão em 2000.

Itaboraí Profute

As coisas não estão nada boas pelas bandas futebolísticas de Itaboraí. O AD Itaboraí nem entrou em campo em 2020, enquanto o Profute foi rebaixado. Para retomar o caminho positivo, que rendeu a chegada na segunda divisão estadual em 2010, o time é dos poucos que terá o mesmo treinador da temporada 2020: Flávio Azevedo esteve em 12 das 15 partidas da Série B2, onde conquistou as três vitórias da campanha. O time será estritamente jovem, com remanescentes, como o goleiro Paulinho, o lateral Ruan Passarinho, os meias Miguel e Brian e o atacante Matheusinho, além de quatro atletas vindos do Bacabal, rebaixado no Maranhense 2021.

Juventus

Desde março, o Juventus começou a sua preparação, antes mesmo do anúncio de Marcelo Melo como treinador. Os reforços vieram de diferentes estados, como São Paulo, Pará, Mato Grosso e, claro, o Rio de Janeiro, com nomes como o goleiro Luiz Henrique (Barcelona), o zagueiro Gabriel Lucena (Bela Vista), o lateral Caio (Casimiro de Abreu) e o atacante Daniel Pessoal (Rio São Paulo e formado no Vasco). Um nome inusitado é Icaro Carioca, que é primo de Carlos Alberto (x-Vasco, Fluminense e Corinthians).

Anúncios

Paduano

De Santo Antônio de Pádua, o Trovão Azul “mudou de sede” e vai mandar todos os seus jogos no CFZ, no Rio de Janeiro. A equipe é uma das favoritas ao acesso e entra na disputa com uma parceria com o Exército, que usará o elenco nos Jogos Mundiais Militares. O treinador será o mesmo de outras reuniões da seleção militar, Mauro Malheiros. Os reforços chamam muita atenção, com três vindos do Americano, que participaram da preliminar do Carioca 2021: o lateral-direito Marcos Baiano, o lateral-esquerdo Paulo Vitor e o volante Anderson Domingues. O grande nome é Leandro Carvalho, com passagens por Botafogo, Duque de Caxias, Figueirense e Atlético Goianiense.

Santa Cruz

Com apenas 14 anos de fundação, o melhor momento do clube foi a chegada na segunda divisão estadual de 2018. Fora das competições em 2020, o time retorna sob o comando do jovem Thiago Campbell, 32 anos, que teve a última experiência em 2018 pelo Rio São Paulo. Treinando desde o início de maio, os principais destaques são o goleiro Thiago (Itaboraí Profute) e o atacante Leandrinho (Gonçalense).

Unisouza

Em 1987, o Dá-lhe Souza Futebol Clube foi fundado como clube amador do Penha Circular. Três anos depois, o clube se filiou a um departamento amador ligado a FERJ, que determinou que deveriam mudar o nome, passando a ser Uni Souza. Em 2021, o clube garantiu a profissionalização e começou os preparativos no final de abril. O principal reforço é o goleiro Guilherme, que era reserva do Macaé na elite carioca. Dois jogadores estavam no Pinhalnovense, da terceira divisão portuguesa, o meia Matheus Xavier e o atacante Marquinhos.

Anúncios

União Central

Longe do futebol desde 2013, o União Central retorna para o futebol profissional apostando em jogadores jovens com passagem por diferentes clubes da capital fluminense. O Aurianil tem mais tradição na era amadora, sendo que não conseguiu resultados expressivos no profissional. O diferencial do clube será o tempo de treinamento, que ocorre desde março.

EC Resende

Só colocamos o clube aqui por mero protocolo, pois a equipe não entrará em campo devido a morte do presidente do clube, Ricardo Ferreira Igreja, vítima de COVID-19, mas não sairá da tabela, onde os jogos serão considerados como derrotas por WO.

Agradecimentos: Gabriel Andrezo, editor da Rádio Super Torcida e Futebol do Rio

About the author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: