CBF define: federações que não realizaram Estadual Feminino poderão indicar campeões de 2019

Anúncios

A CBF, finalmente, decidiu que as federações estaduais que não realizaram campeonato feminino terão que indicar os vencedores da disputa de 2019. Marcos Barcelos, editor do Temos Futebol e parceiro da Revista Série Z, teve acesso ao ofício encaminhado as entidades, que gerou uma questão no representante do Espírito Santo, que será o Vila Nova, campeão de 2019, mas com protestos do Prosperidade, que disputaria uma seletiva contra a equipe, que não será realizada dentro do prazo, devido as restrições no estado para conter a pandemia.

Com essa decisão, o Brasileiro Feminino Série A2 2021 ganha forma para definir os 36 clubes que estarão na disputa. A data original para definição era 28 de março, mas foi postergada para 2 de abril. Até esse presente momento, pelos Estaduais, rebaixamentos da Série A1 2020 e os cinco melhores ranqueados do futebol masculino sem representantes nas duas divisões nacionais da modalidades, essas eram as equipes classificadas:

Anúncios

Paraná e Piauí já tinham definido e publicado que não realizariam o Estadual. A Federação de Futebol do Piauí afirmou que iria indicar o Tiradentes por ser o melhor ranqueado, o que não muda com a proposta da CBF, pois foi o último campeão do estado. No Paraná, a federação local iria realizar o campeonato com Toledo e Imperial, mas o certame foi cancelado, devido ao prazo de inscrição do segundo clube. Assim, o Toledo seria indicado, mas o time foi vice-campeão para o Foz Cataratas em 2019, que não demonstrou interesse na disputa, porém deixa uma briga aberta, que deve ter o Toledo indicado.

As outras oito federações não realizaram ou não terminaram a disputa. No Pernambuco, por exemplo, a competição foi paralisada devido as restrições implantadas pelo governo local. Com isso, Sport, Náutico, Ferroviário e Íbis que disputariam a segunda fase não conseguirão terminar a competição antes do prazo estipulado pela entidade nacional. O Vitória das Tabocas, que tinha parceria com o Santa Cruz, foi o último campeão estadual, mas não disputou a edição dessa temporada. A vaga deve cair no colo do Sport, vice da disputa.

No Acre, o Atlético Acreano, campeão estadual de 2019, não demonstrou interesse na disputa da temporada 2020, que foi adiada inúmeras vezes.  Assermurb, Rio Branco, São Francisco e Vasco queriam participar da edição. Se o Atlético se manter fora da modalidade, a Assermurb (foto abaixo) fica com a vaga.

Anúncios

Alagoas, Bahia, Maranhão, Sergipe, Goiás e Santa Catarina não realizaram Estadual e sendo assim, as vagas deverão ficar, se a classificação de 2019 foi seguida fielmente, dessa forma: UDA (campeão alagoano de 2019), Juventude de Vitória da Conquista (vice do Baiano 2019, quando perdeu para o Bahia, que está na Série A1), Juventude Timonense (campeão maranhense de 2019), Santos Dumont (campeão sergipano de 2019), Goiás (campeão goiano de 2019) e Criciúma (melhor colocado do Catarinense 2019, pois os finalistas Kindermann e Napoli estão na primeira divisão).

A CBF não considera o Brasileiro Feminino Série A2 como profissional, o que faz com que se não tenha a obrigatoriedade de divulgar a tabela da competição com dois meses de antecedência. A competição está marcada para começar no dia 16 de maio, ou seja, menos sessenta dias necessários para uma competição profissional da CBF.

About the author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: