Como foi a última participação do Ferencváros na Liga dos Campeões?

Anúncios

Vinte e cinco anos! É bem possível que algum leitor da Série Z leia esse começo e pense: “É a minha idade!”. Pois é, você e o Ferencváros deixaram marcados o ano de 1995. Para o clube húngaro foi o ano da primeira e única participação na fase de grupos da Champions League. Se pensarmos em temporadas, são 24 anos, pois naquela vez, a campanha terminou em dezembro de 1995, com a eliminação no grupo D.

Foi a segunda tentativa do maior campeão nacional da terra de Puskás de ingressar na fase da era moderna do campeonato europeu. Anteriormente, teve boas campanhas, como a chegada nas quartas de final de 1965/66, quando foram eliminados pela Internazionale.

Para chegar até a Champions 1995/96, o Ferencváros conquistou o Campeonato Húngaro com certa tranquilidade, terminando com sete pontos de vantagem para o tradicional Ujpest. O treinador era Dezso Novák, que estava na terceira passagem pelo alviverde e vinha do comando da seleção local. O elenco dele contava com a base da seleção na época, que continuava no ostracismo histórico. Eram apenas cinco estrangeiros: três sérvios, um ucraniano e um nigeriano.

Os destaques do plantel eram o zagueiro János Hrutka (que foi campeão da Bundesliga com o Kaiserslautern em 1997/98) e o meia Krisztián Lisztes (que fez carreira na Alemanha, ganhando A Bundesliga e Copa com o Werder Bremen em 2004).

Lisztes, com a camisa do Werder Bremen, um dos poucos jogadores daquele elenco que teve uma ascensão considerável depois da campanha de 1995/96

Na época, o formato da competição era diferente do atual, com 16 grupos na fase preliminar única e oito garantidos na fase de grupos. O adversário dos húngaros foi o Anderlecht. Na primeira partida, fora de casa, o sérvio Zoran Kuntić fez o gol que deu vantagem às Águias. Na volta, outro sérvio foi decisivo, Goran Kopunović abriu o marcador aos cinco minutos da etapa final, mas 15 minutos depois, os belgas empataram. O final foi de pressão, mas o Ferencváros resistiu e garantiu a vaga inédita.

Anúncios

Na fase de grupos, os húngaros tiveram a companhia do Ajax, então campeão europeu, Real Madrid e Grasshoppers. A campanha foi de uma vitória, dois empates e três derrotas.

A estreia foi na Suíça com um resultado espetacular: 3 a 0! Lisztes abriu o placar e no final da partida, Ottó Vincze fez aos 36 e 45 minutos. Na partida que era viável ter uma vitória, o primeiro jogo não poderia ser melhor.

Porém, a realidade foi dura e cruel com alviverdes nas duas partidas seguintes, com duas goleadas sofridas, totalizando 11 a 2 como derrota geral. Na estreia em casa, o Ajax não deu chances, com 5 a 1 no placar, sendo que o gol de Elek Nyilas foi o de empate, mas os holandeses fizeram três em 23 minutos, com Litmanen fazendo três. No fechamento do turno, o clube foi até o Santiago Bernabéu e tomou outra sova: 6 a 1 para o Real Madrid. Kopunovic fez o de honra quando estava 5 a 0.

A fragilidade da dupla húngara e suíça, fez com que o maior resultado da campanha foi o empate por um gol com o Real Madrid, em Budapeste. Flórián Albert abriu o placar, aos 36 minutos do primeiro tempo. A pressão foi grande, a torcida ficou animada, mas novamente, a realidade se colocou a frente, com Raúl, aquele mesmo, empatando a partida.

Anúncios

A última partida em casa até essa edição foi em 22 de novembro de 1995, quando receberam os “Gafanhotos” para um jogo maluco. Albert abriu o placar para os mandantes, aos 20 minutos, mas um minuto depois, Subiat empatou. Entretanto, quase 180 segundos depois, Lisztes recolocou o time na dianteira. O segundo tempo foi complicado para o Ferencváros que tomou a virada, com gols aos 47 (Comisetti) e 64 (Ibrahim). Para não terminar na lanterna, o time teve que correr atrás e Nyilas cobrou a penalidade que empatou a partida de despedida como mandante.

A despedida tinha uma remotíssima chance de classificação, mas o Ajax não economizou: 4 a 0. Assim, terminou a última participação do Ferencváros na Liga dos Campeões da Europa. A campanha terminou com 12ª colocação geral entre os 16 participantes da fase de grupos, mas com a pior defesa, quando tomou 19 gols.

Time do Ferencváros em um dos confrontos contra o Ajax!

Até conseguir retornar, o Ferencváros passou por muita coisa. Nesse período, foram cinco tentativas, falhando nas fases preliminares da UCL. Por duas vezes, o clube esteve na Liga Europa (ou Copa UEFA), em 2004/05 e 2019/20, ou seja, encaminha a segunda participação seguida em uma fase de grupos de competição europeia. Não bastasse isso, foi rebaixado por problemas financeiros em 2006 e ficou três temporadas no segundo escalão.

Para 2020/21, o Ferencváros espera pontuar, pois a chave com Juventus e Barcelona é traiçoeira. O Dynamo Kiev é favorito para a Liga Europa, mas é o time a ser batido pelas Águias Verdes nesse retorno.


Confira nosso vídeo sobre os Debutantes da Champions 2020/21

About the author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: