Da Série A-3 à Série B: a saga de um trio da Inter de Limeira

Anúncios

Rafael Pin; Lucas Balardin, Carlão, Nikão e Calixto; Marquinhos, Teco e Tom; Éder Paulista, Wesley e Lucas Douglas. Foi com essa escalação que a Inter de Limeira entrou em campo no dia 27 de maio de 2017 para o segundo jogo da final do Paulista Série A-3. A equipe precisava apenas sair de campo sem tomar gols após vencer o Nacional, fora de casa, no jogo de ida. No fim das contas, pouco mais de 12 mil pessoas saíram decepcionadas com a derrota por 2 a 0 e o vice-campeonato. Porém, o acesso à Série A-2 após nove anos longe da disputa estava assegurado.

No ano seguinte, como de costume, o elenco foi modificado, mas alguns jogadores permaneceram como o goleiro Rafael Pin, o volante Marquinhos e o lateral Lucas Balardin, os personagens centrais desse texto.

Rafael Pin, 28 anos, teve formação em três clubes, Rio Preto, Santos e Corinthians. Em 2012, ele estreou como profissional pelo Flamengo de Guarulhos, onde ficou até 2014, com duas saídas para Guaratinguetá e Colorado. Em 2015 chegou ao Velo Clube, onde teve a primeira oportunidade com João Vallim, treinador do time na campanha e ficou por dois anos, com uma rápida passagem pelo Osasco Audax. O clube ciclístico de Rio Claro é peça-chave na história desses três jogadores.

Rafael Pin, o herói do acesso à Série A-1 | Foto: Rodrigo Corsi/FPF

O lateral Lucas Balardin é o mais novo do trio, com 25 anos. Ele, também, foi formado no Corinthians, mas estreou no futebol profissional pelo Velo Clube, em 2016, o clube que citamos acima. Vallim fez o mesmo com Pin. Quando chegou a Inter de Limeira, em 2017, pediu a contratação do defensor.

Lucas Balardin ainda não definiu o futuro | Foto: Reprodução/Futebol Interior

Marquinhos também passou pela equipe rubro-verde no mesmo ano e teve mesmo trajeto. O meia defensivo tem 26 anos, mas foi formado pelo próprio Velo Clube, com duas saídas até 2016 (CRAC e Elosport), quando encontrou a dupla no estádio Benito Agnelo Castellano.

Marquinhos se tornou esse ano, um dos 30 jogadores com mais partidas pela Inter | Foto: Reprodução/Edmar Ferreira/Rápido no Ar

A campanha do Velo Clube, em 2016, foi um honroso 10° lugar no Paulista Série A-2. Mesmo com a possibilidade de ficar na divisão maior aceitaram o desafio de jogar em Limeira para recolocar o clube no escalão que estavam. Conseguiram o acesso como dissemos, sendo importantes para o clube desde então.

João Vallim foi treinador do trio por quatro temporadas | Foto: Mário Roberto/ Gazeta de Limeira

A campanha na volta à Série A-2, em 2018, foi “nem lá, nem cá”, ocupando o meio da tabela, ficando longe do grupo dos classificados ou rebaixados, com João Vallim permanecendo no comando. Ao menos, a certeza que estaria na mesma divisão fez com que o Leão buscasse algo a mais em 2019.

Para o ano do acesso à primeira divisão, João Vallim quis e manteve Rafael Pin e Marquinhos, mas Lucas Balardin deixou a equipe após proposta da Portuguesa Santista. Com sete vitórias, nove empates e cinco derrotas, a Inter de Limeira conquistou o acesso à primeira divisão após 15 anos longe da disputa. Rafael Pin foi o herói da partida de acesso, pois a decisão contra o XV de Piracicaba foi para os pênaltis.

“Eu tenho dois jogos que eu levo comigo, que são a semifinal da Copa Paulista 2017 contra o XV de Piracicaba onde fiz dois gols e, também, o jogo do acesso para a elite contra o XV de Piracicaba. Esses foram os jogos que ficaram mais marcados na minha passagem na Internacional de Limeira. Hoje me sinto torcedor, amo a Inter e espero um dia poder voltar a honrar esse manto leonino de muitas história e tradição no futebol”, conta Marquinhos. O volante deixou a Série A-3 para em três anos chegar na Série B, pois ele acertou com o CSA para a disputa nacional.

Anúncios

“Então, durante toda minha carreira nunca tive uma oportunidade igual estou tendo agora de disputar um Brasileiro. Trabalhei muito para que hoje pudesse estar realizando um sonho. Na Inter foram quase três anos de muito trabalho onde dentro desse tempo tive muitas propostas para sair, mas nunca dava certo. Hoje, depois de disputar o Paulistão estou tendo essa chance, a melhor da minha carreira. Estou muito feliz e motivado para esse novo desafio”, conta o animado Marquinhos.

Lucas Balardin não disputou a campanha do acesso à Série A-1, mas logo depois da disputa retornou ao Leão para defender o alvinegro na Copa Paulista 2019. Para a Série A-1 2020, o João Vallim saiu para a entrada de Elano e com a reformulação do elenco, os três se mantiveram intactos, os pilares do elenco, que com certeza levaram as trajetórias deles para o vestiário para conseguir a permanência, o grande título na volta à elite paulista.

“Tenho um sentimento de gratidão e de orgulho, por todo o trabalho feito durante este período. Foi muito difícil, mas graças a Deus conseguimos”, conta Lucas Balardin, sobre a sensação de sair da A-3 rumo a A-1. Ele ainda espera receber uma proposta para jogar o Brasileirão. “Claro que a gente almeja disputar uma Série B ou até mesmo uma Séria A do Brasileiro, mas isso eu deixo nas mãos de Deus e sigo trabalhando, que ele cuida de tudo”.

Assim como Marquinhos, Rafael Pin, também conseguiu um contrato na Série B ao acertar com o Guarani por empréstimo. “Muito gratificante, um sinal de muito trabalho. Eu trabalhei muito, me dediquei, passei vários momentos dentro da Internacional de Limeira, momentos bons, um momento ruim que foi uma lesão do ligamento cruzado anterior, mas voltei mais forte ainda e trabalhando sempre”, conta o arqueiro.

Os três foram muito utilizados durante os 14 jogos do Campeonato Paulista, sendo que Pin atuou em todas as partidas e os outros dois não tiveram aparição em apenas uma partida da campanha. Com a Inter de Limeira na história, os três continuam o trajeto no futebol sendo grandes nomes do futebol alternativo em 2020.

Anúncios

About the author

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: