Belarus: os brasileiros da única liga europeia disputada em meio a pandemia do novo Coronavírus

Tomar uma sauna, beber muita vodka e trabalhar duro para matar o vírus em seus organismos. Foi assim que Aleksander Lukashenko afirmou em entrevista ao jornal La Gazzetta Dello Sport pelo início do Campeonato Bielorrusso em meio a pandemia do COVID-19, o novo Coronavírus, a única liga europeia em andamento em meio ao caos.

Segundo o oGol.com, o campeonato tem 119 estrangeiros entre os 421 atletas fichados nos elencos, pouco mais de 28% do total. Desse número de forasteiros, sete são brasileiros distribuídos em quatro clubes. Você confere aqui, os brasileiros que estão jogando futebol, com público presente, em meio a situação onde se pede isolamento social.

Wictor Dias – Energetik-BGU Minsk

As informações sobre o jogador são poucas, mas pelo Instagram do atleta dá para saber que ele jogou no Atlético Goianiense antes de ir para Belarus, quando chegou em 2019 para defender o Energetik, onde fez apenas seis partidas desde que chegou.

View this post on Instagram

Fé pra tudo 🙌🏾⚽️

A post shared by Wictor Emmanuel (@wictor_dias00) on

William – Rukh Brest

Recém-promovido, o Rukh, também, apostou em um brasileiro no elenco. Formado pelo Juventude, o zagueiro teve passagem por Luverdense, Goiás e Santa Cruz, onde esteve em 2019 entre o time principal e o sub-23. O clube é debutante na primeira divisão bielorrussa, foi fundado em 2016 e logo na estreia venceu o tradicional Dinamo Minsk, por 1 a 0, com William atuando os 90 minutos.

Gabriel Ramos – Torpedo Zhodino

Com apenas 24 anos, o meio-campo já tem uma grande história para contar: foi dele o primeiro gol brasileiro na liga bielorrussa em meio a pandemia do COVID-19! A carreira de Gabriel é curta. Se profissionalizou no Cuiabá, em 2017, e partiu rumo a Geórgia onde esteve nas duas últimas temporadas defendendo o Dínamo Batumi. Em entrevista a Rafael Abduche, do Globo Esporte, ele mostrou preocupação com o cenário. “Teria que ter cautela e parar a competição, mas como a federação daqui não paralisou, acho que devem ter o controle da situação. Creio que devem ter esse senso em pensar no próximo”.

Lipe Veloso – Torpedo Zhodino

Assim como Gabriel, Lipe está na primeira temporada de Belarus. Formado pelo Palmeiras, o meia nunca atuou profissionalmente aqui. Em 2017, com 19 anos, foi contratado pelo FC Tokyo onde fez mais jogos pela equipe sub-23 que a profissional. A última temporada foi no FC Lviv, da Ucrânia, até acertar a ida à Belarus.

Diego Carioca – Vitebsk

O clube com mais brasileiros no Campeonato Bielorrusso é o Vitebsk. O primeiro deles é Diego Carioca, atacante que atua pelos lados, que foi formado pelo Aimoré. No ano passado, teve passagem curtíssima pelo Lajeadense até acertar com o clube do leste europeu, quando fez 15 jogos e nenhum gol.

O trio do Vitebsk composto por Júlio César (esquerda), Wanderson Maranhão e Diego Carioca (Fotos: ASCOM/FC Vitebsk)
Júlio César – Vitebsk

Formado no Corinthians, o zagueiro esteve por dois anos no time sub-20, mas não chegou a disputar uma Copa São Paulo. Em 2018, ele reforçou o América de Natal. Nos sites que encontramos a ficha dele não há registros de onde atuou em 2019. Em 2020, ele “recomeça” a carreira no Vitebsk.

Wanderson Maranhão – Vitebsk

Formado pelo JV Lideral, o volante está no terceiro ano de Belarus. Nas duas temporadas anteriores, fez 57 partidas pelo clube. É a segunda passagem fora do país do atleta: em 2017 atuou no AFC United, da Suécia. No Brasil, as melhores passagens foram pelo Maringá e XV de Piracicaba. Antes de ir para Belarus em 2018, ele estava no Andraus.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: