Por que estes clubes NÃO são considerados Debutantes dos Estaduais 2020?

A primeira edição da Revista Série Z de 2020 foi o Guia dos Debutantes dos Estaduais, no dia 17 de janeiro, mas alguns leitores “sentiram” falta de alguns clubes na publicação, principalmente, o São Paulo Crystal (PB), Juventude (MA) e Doce Mel (BA).

Geralmente, para explicar casos desse tipo, nós sempre recorremos para o Novorizontino. Se em 2016, nós tivéssemos o Guia dos Debutantes dos Estaduais, a equipe de Novo Horizonte estaria presente, pois se trata de um clube diferente do vice-campeão paulista de 1990 e campeão da Série C 1994. A pessoa jurídica é diferente. Aqui, nós falaremos sobre essas novidades, mas que não irão estrear de fato. A explicação nesses casos é jurídica.

Doce Mel – Ipiaú (BA)

De fato, um time chamado Doce Mel, com sede em Ipiaú, nunca disputou a primeira divisão baiana, porém, o clube é o antigo Atlanta Futebol Clube, de Jequié, campeão da segunda divisão baiana de 1987 e que participou da elite estadual no ano seguinte. O clube foi adquirido em 2017 pelo Grupo Doce Mel, que produz polpa de frutas. No ano passado, o clube definitivamente passou a usar o atual nome. O clube, obviamente, mudou de status com a mudança, mas se trata de uma continuação de uma antiga denominação e sede e por isso não é considerado como debutante.

Pacatuba – Pacatuba (CE)

O Pacatuba é o primeiro caso que citamos que não tivemos “lembranças” dos seguidores e que não tem nenhuma mudança jurídica. Resolvemos colocar aqui, pois o clube irá disputar o Cearense Segunda Divisão, mas não será a primeira vez, pois disputou em 2011 e como faz um bom tempo, fica registrado.

Foto: Pedro Chaves/FCF

Juventude – São Mateus do Maranhão (MA)

Mudar de sede, também, não muda o fato de uma equipe ser considerada debutante no nosso guia. Fundado em Caxias, a equipe ficou dez anos inativo, até que em 2018 retornou aos gramados com uma parceria com a Prefeitura de São Mateus do Maranhão, onde teve um 2019 espetacular, com título da segunda divisão e Copa FMF, que deu vaga à Série D 2020. Ainda quando jogava na antiga sede, o clube disputou o Maranhense em 2006.

Página do Campeonato Maranhense no Guia 2006 da Placar

São Paulo Crystal – Cruz do Espírito Santo (PB)

Em 2015, o Lucena Sport Club disputou o Paraibano pela única vez. Fundado na cidade de mesmo nome, a equipe chegou a mandar jogos em Campinha Grande. Em 2017, o clube foi adquirido pelo Engenho São Paulo, uma cachaçaria, que produz a bebida São Paulo Cristal. Uma nota na época dizia que a equipe que mudou de nome e sede (Cruz do Espírito Santo) homenageava o São Paulo e o Crystal Palace! Acho que não, né? O clube é mais um que não consideramos debutante, mesmo com configuração completamente diferente do Lucena, mas juridicamente, são a mesma equipe.

Sport Lagoa Seca – Lagoa Seca (PB)

Fundado em Campina Grande, quando usava o nome Sport Campina, a equipe chegou a primeira divisão estadual sem vencer nenhuma partida na história! Isso mesmo, em 2012 e 2013 não teve vitórias na segunda divisão, mas em 2013 como havia apenas quatro equipes no escalão e o Paraibano 2014 teve desistências, a equipe foi convidada para a disputa. Não venceu nenhuma partida. Só em 2016 que conseguiu a primeira vitória. Em 2018, a equipe se mudou para Lagoa Seca, onde conseguiu o acesso no ano passado. É mais um caso de clube que muda de nome e sede, mas com a diferença que passou por menos mudanças na identidade visual.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s