Quantidade versus qualidade: por que dezembro de 2018 explica o CSA atual?

Quando o CSA entrou em campo contra o Athletico no último sábado (20), a média de idade do 11 titular tinha 29,7 anos. Os mais novos foram Jordi (25) e Dawhan (23). O maior problema do clube alagoano nesta Série A é físico. A elite pede intensidade, como ponto básico. A média de idade do elenco é pouco menor: 27,98. Pode parecer estranho, mas o plantel do Palmeiras é o segundo em média de idade do Brasileirão e se trata de um dos melhores do país, mas com uma diferença: o time que o Palmeiras colocou contra o Ceará tinha média de 28,11. No caso do Azulão havia um buraco na linha dos 25 aos 27 anos, que para muitos é o auge da forma física.

Não parece ser coincidência que os dois jogadores citados acima, ao lado de Victor Paraíba (21) são os jogadores menos criticados do time – sem contar Matheus Sávio, 22 anos, que saiu no período da Copa América para o futebol japonês e era o melhor jogador da equipe. Apodi entre os mais experientes é o que se salva de críticas maiores. É preciso mesclar um elenco na Série A, mas há um fator que explica o momento: dezembro de 2018.

Matheus Sávio deixa saudades a cada partida do CSA após a Copa América (Foto: Augusto Oliveira/RCortez/CSA)

Logo após o acesso à Série A, o CSA anunciou vários reforços, que não deram tanta alegria ao torcedor logo na divulgação pelas redes sociais. A justificativa era que o investimento no Alagoano seria totalmente o oposto da Série A, o que é fato, mas o nível dos reforços demonstrava que não se enquadrava nem perto do que a primeira divisão pedia. Faltou analisar melhor quem estava sendo contratado, com a possibilidade de pensar que poderia ser utilizado na Série A.

Entre o jogo de acesso contra o Juventude e a estreia no Campeonato Alagoano, o CSA anunciou 17 reforços, sendo que a maioria já foi embora, e exceto por Matheus Sávio (transferência para o Kashiwa Reysol) e Régis (extracampo, atualmente no São Bento), todos por questões técnicas. Veja para qual divisão a maioria foi após jogar no Azulão

Joazi – América de Natal

Ramon – retornou ao Fluminense

Patrick Fabiano – sem clube

Lucca Motta – sem clube

Lohan – ABC

Mauro Silva – sem clube

Pedro Rosa – sem clube

Jhonnatan – Náutico

Thiaguinho – Inter de Limeira

Hiago – Botafogo-PB

Como se vê, nenhum deles se transferiu para clubes nem mesmo da Série B, o que é sintomático. A aposta foi na quantidade sem analisar a qualidade, pois muitos nem mesmo chegaram ao fim do Alagoano, que foi o argumento (justo, repetindo) para um menor investimento, mas poderia ter sido melhor.

Para ser ter ideia, permanecem no elenco dessa primeira leva de jogadores: Gerson (Z, 26 jogos), Luciano Castán (Z, 27J), Amaral (V, 6J, sofreu lesão), Fabrício (G, 2J, 3º goleiro) e João Carlos (G, 20J, atual reserva), sendo que nenhum deles atuou na última rodada – apenas Gerson e João ficaram no banco de reservas

Quando se viu em crise, após a derrota para o Mixto na primeira fase da Copa do Brasil, sendo o primeiro clube da Série A eliminado da competição, tratou de anunciar mais um quarteto para o elenco. Antes do, considerado, vexame, a equipe já havia anunciado o lateral-esquerdo Carlinhos. No dia seguinte a desclassificação, foram divulgadas as chegadas do atacante Cassiano, o meia-atacante Manga Escobar, o zagueiro Ronaldo Alves e o lateral-direito Apodi, nomes que agradaram a torcida, apesar do questionamento da razão de não terem sido contratados antes. Até a Série A, chegaram mais oito jogadores, com destaque para o meia Madson, o volante Naldo, o lateral Armero (que já saiu) e o goleiro Jordi. Ficava clara a aposta na experiência para a disputa da Série A após 32 anos, o que culminou em um time sem força de reação, transição ofensiva rápida e que cansa rapidamente. Mesclar o elenco é a receita mínima para ser competitivo na Série A. Falta isso para o clube alagoano.

Que a nossa análise seja subvertida e o CSA possa se manter, mas parece difícil, pois fisicamente, transparece que não aguentará. Isso não apaga a ascensão sensacional, a recolocação do estado na Série A e a sensação de receber os melhores clubes do Brasil em casa.

Confira todas as vitórias do CSA na Série A, clicando aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close