Os estranhos no ninho da Copa Sul-Americana: Motagua 2008

México, país filiado a Concacaf, mas que desde 1998 disputara a Libertadores da América, ou seja, virou (infelizmente) um “membro sul-americano”. Clubes mexicanos são “normais” na América do Sul, mas a Copa Sul-Americana reservou a entrada de outros clubes da parte de cima das Américas.

Entre 2005 e 2008, três clubes usufruíram da bondade da Conmebol, disputaram a Copa Sul-Americana e ainda tiveram privilégios. Sem critérios permanentes para a classificação, os clubes eram convidados de acordo com diferentes competições da parte de cima das Américas. Mesmo com regalias, o retrospecto não foi bom: em quatro participações, apenas uma vitória, um empate e seis derrotas.

Encerrando nossa série, o Motagua é personagem do último texto. O não-mexicano da Concacaf mais alternativo a ter disputado a Copa Sul-Americana.

2008 | Motagua

Sem dúvida é o clube mais alternativo que disputou a Copa Sul-Americana, fora da parte baixa das Américas. O Motagua é o segundo maior campeão hondurenho, com 15 títulos.

Em 2008, o clube da capital do país, Tegucigalpa, foi convidado para disputar a Copa Sul-Americana como campeão da Copa Interclubes da UNCAF 2007. Tinha no elenco, cinco jogadores que participaram das Copas de 2010 e/ou 2014, com destaque para Izaguirre e Bernárdez. Ao invés de entrar nas oitavas-de-final, como nas outras edições, o Motagua disputou a fase anterior, onde teve o Arsenal Sarandí, da Argentina, como adversário.

A expectativa de Josue Daniel Alvarado, 35 anos, torcedor do clube e que administra um grupo de adeptos no Facebook era que passasse ao menos de fase. Ele não pôde ir ao estádio devido ao momento profissional que vivia. “Neste ano, eu pertencia a Marinha Hondurenha. Em alto mar, estava assistindo esse jogo em uma TV de 3 polegadas e meia de baterias (risos). Lembro bem que eu disse que se o Motagua ganhasse, eu nadaria mil metros à noite sem equipamento.

O que mais ele queria era uma vitória contra um sul-americano, pois no jogo de ida, em Sarandí, goleada por 4 a 0 para os argentinos. Em alto mar, sabia que a classificação argentina estava encaminhada e foi confirmada na volta, com nova vitória, por 2 a 1. O único gol do Motagua foi marcado pelo brasileiro Joscimar, o Lambiru, que teve sete temporadas no time e em 2018 atuou no Tupy (ES).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close