Maringá 3×1 Toledo: em jogo de um tempo para cada equipe, o oportunismo fez a diferença

Tarde de domingo, a primeira partida realizada no Willie Davids pelo Paranaense 2018 teve Maringá e Toledo como adversários. O mandante buscava a primeira vitória após as duas derrotas iniciais. O Toledo vinha embalado e invicto com a batuta de Paulo Baier na primeira experiência como treinador.

O jogo começou com Maringá tentando controlar as ações. O lado direito de ataque era o mais acionado, com Danilo Mohamed apostando na velocidade de Everton, com bolas longas. O Toledo se fechava bem e adotou uma postura de esperar o Maringá no campo defensivo e sair “na boa”!

Assim como em 2017, Fernando Marchiori apostou em um 4-2-3-1 no momento ofensivo, com a penúltima linha tendo Paulinho Moccelin, Lucão e Everton. Sem a bola, Paulinho e Everton se juntavam a Dantas e Carlão, enquanto Lucão formava linha com Bruno Batata, em um 4-4-2.

Paulo Baier escalou o Toledo no 4-1-4-1, que prevalecia nos momentos de defesa e ataque. O time tinha algumas variações, com um 4-2-3-1 no ataque e na defesa, Bruno Bêra que jogava a frente da última linha se tornava um terceiro zagueiro quando Lucão invadia a área.

 

A estratégia de Fernando Marchiori foi mais eficaz no primeiro tempo, com a vantagem de 3 a 0 no placar. Aos 16 minutos, bola alçada na área e Bruno Batata desviou de cabeça para abrir a contagem. Nove minutos depois, um gol inusitado, com Lucão escapando pelo centro-esquerdo, ao chegar na área se desequilibrou, mas mesmo no chão conseguiu chutar para anotar o segundo. No fim da etapa inicial, pênalti para o Maringá e Bruno Batata fez o segundo dele, que deu a artilharia do campeonato para o centroavante.

Se o primeiro tempo foi do MFC, a segunda etapa foi bem diferente. No intervalo, Baier tirou Bruno Bêra e Gilmar Couto, para a entrada de Lucas Pará e Wayni e as alterações surtiram efeito, com o time abandonando o esquema antigo para apostar no 4-3-3 onde Ferreira e Lucas Pará passaram a deixar a equipe com mais profundidade e amplitude, além de Ari Moura ter mais liberdade para flutuar pelo ataque. Ele que foi o autor do gol visitante, após pênalti anotado.

Acuado, Fernando Marchiori teve que mexer na equipe: sacou Rodrigo Dantas e colocou Willian, para reforçar proteção a linha defensiva, ao lado de Carlão. Aos poucos, o jogo foi mudando, com o equilíbrio sendo a tônica, mas com um jogo que passou a ficar truncado no meio-campo. Dandan e Washington entraram, também, mudando a característica, com mais contra-ataque e, no final, o controle da bola, respectivamente, mas com mesmo desenho tático. No final da partida, o Toledo foi para o abafa, com muitos passes longos, aproveitando principalmente o lado esquerdo ofensivo.

De nada adiantou, a partida terminou 3 a 1 para o MFC. Em um jogo onde os mandantes controlaram o primeiro tempo e o Porco, a etapa final, o oportunismo fez diferença e o Maringá conquistou a primeira vitória no Estadual.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close