Guia das quartas da Série D 2017

Chegou a hora! O momento mais importante da Série D 2017 está perto de ser concretizado: a definição dos quatro acessos! O momento que os torcedores de oito clubes de quatro regiões sonham com a possibilidade de uma calendário melhor, mais jogos, um planejamento adequado e a possibilidade de uma maior e melhor organização a partir de 2018, com a disputa da Série C.

Das oito equipes, apenas uma disputou a “era moderna” da Série C: o América, que caiu ano passado! Entre as outras sete equipes, Operário e Atlético Acreano voltam a uma disputa de quartas de final. Os cinco clubes restantes buscam o épico que pode ser o mais importante da história de cada equipe.

Neste guia, você irá conferir o que cada equipe tem a oferecer nos confrontos, a história da equipe e/ou estado e as previsões para 2018.

Pontuações opostas, ataques e derrotas iguais

Na pontuação geral, 10 pontos separam América e Juazeirense (25 a 15), mas dois pontos equilibram o confronto que tem o Dragão como grande favorito. América e Juazeirense têm o mesmo número de derrotas e gols marcados. As duas equipes perderam apenas uma partida, que ocorreu na primeira fase. O ataque chama atenção, com 17 gols. O que pode diferenciar o confronto é a defesa americana, melhor da Série D, ao lado do Operário, com apenas cinco gols sofridos, enquanto a Juazeirense aposta no estilo copeiro, com seis empates e com gols marcados em todas as partidas fora de casa. Nos números, ao menos, a partida tem ingredientes interessantes.

HISTÓRIA | As equipes nunca se enfrentaram, mesmo tendo participado das duas últimas edições da Copa do Nordeste. Pela primeira vez, chegam as quartas da Série D. O América tenta o terceiro acesso (que tecnicamente pode ser o quarto, pois o Globo faz o segundo jogo antes) do Rio Grande do Norte, que já subiu com Alecrim (2009) e Baraúnas (2012). O Cancão tenta o inédito acesso para a Bahia, que por duas vezes teve representante nesta fase, mas nunca subiu, com Jacuipense (2014) e Flu de Feira (2016).

SÉRIE D 2018 | O América tem vaga garantida na próxima quarta divisão e caso suba sozinho, o ASSU assume a vaga. O Potiguar, também, está na espera caso os dois potiguares alcancem o acesso. Para a Juazeirense, se não subir, não terá calendário nacional em 2018, desde que não haja desistências do estado.

Pelo melhor ano da história

Globo e URT fizeram belas campanhas no Estadual. O primeiro foi campeão do primeiro turno, mas terminou com o vice-campeonato. Pelo lado mineiro, o bicampeonato do Interior. O acesso à Série C é a prova da ascensão das duas equipes, sendo que uma é inteiramente nova e outra tem a reestruturação como ponto alto. Dentro de campo, o Globo conseguiu passar pela segunda e terceira fase sem grandes sustos, com um ataque potente (16 gols) e defesa firme (cinco gols). Do lado da URT, o que chama atenção é que a equipe é a única que não alcançou os dois dígitos em gols pró ou contra (sete a sete, com saldo zero). Pode ser um fator interessante no confronto.

HISTÓRIA | O confronto é inédito e pela primeira vez, as duas equipes chegam nesta fase. O Globo pode ser o terceiro acesso potiguar. Do lado mineiro, a subida da URT seria a quarta, para se juntar a Tupi (2011 e 2013) e Tombense (2014).

SÉRIE D 2018 | Globo e América são do mesmo estado, mas o Globo define o confronto primeiro que o conterrâneo. Caso suba, o ASSU fica com a vaga do Globo na Série D 2018 (e o Potiguar espera a definição do confronto do América). A URT tem vaga na edição 2018, mas há um caso inusitado, pois o Villa Nova que foi eliminado pela equipe de Patos de Minas, torce agora, para o algoz subir e assumir o posto na próxima edição.

O número “três”

O título acima não tem referência pelo Operário ter a terceira melhor pontuação ou pelo Maranhão ser número seis, um múltiplo de três (risos)! O numeral se refere a uma (quase) sina. O Operário pela terceira vez disputará as quartas de final da Série D, enquanto o Maranhão busca ser o terceiro clube maranhense nas Séries A, B e C 2018 (desde que nenhum caia). Cinco pontos separam o Fantasma e MAC na classificação geral, sendo que o paranaense tem melhor defesa (5 a 9), mas o Quadricolor tem melhor ataque (16 a 11). O Maranhão aposta na empolgação e estilo pragmático de jogo que foi determinantes nos mata-matas anteriores, enquanto o Operário mesmo com a pressão pelo fiasco (assim considerado) no Paranaense da Divisão de Acesso permaneceu com bom nível de jogo no Nacional.

HISTÓRIA | Operário e Maranhão já participaram de edições de campeonatos nacionais juntos, mas nunca se enfrentaram. O Maranhão debuta, historicamente, nesta fase, enquanto o Operário disputará pela terceira vez (2010 e 2015), sendo junto com o Tupi, o clube que mais participou desta fase. O Paraná teve um acesso na Série D, em 2014, com o Londrina (Cianorte, também, chegou em 2012 nas quartas) e o Maranhão tem dois acessos, com Sampaio Corrêa (2012) e Moto Club (2016).

SÉRIE D 2018 | Nenhuma das equipes têm vaga na Série D 2018, sendo que o Operário ainda tem chances, caso não suba, pois disputa a Taça FPF, que começa neste sábado (5), onde estreia após as definições da Série D, sendo que apenas jogadores sub-23 atuam. O Maranhão, caso não fique com o acesso, disputa a próxima edição se duas equipes desistirem (Cordino e Imperatriz são os representantes garantidos e o Santa Quitéria é o primeiro na suplência).

Continuidade: a semelhança dos alvicelestes

O novo formato da Série D tinha como ponto positivo possibilitar um melhor planejamento das equipes para o ano (ou dois quadrimestres, infelizmente), mas a primeira experiência ainda não surtiu o efeito esperado, entretanto, Atlético Acreano e São José são o ponto fora da curva nesta edição, pois apostaram na continuidade, mesmo que por motivos diferentes. O Atlético Acreano mantém a base do ano passado que chegou as quartas da Série D e que se sagrou bicampeão acreano em 2017, dessa forma, a confiança no elenco e entrosamento foram fatores determinantes na atual campeão. O Zequinha trocou pouco em relação ao plantel do Estadual, mas por uma política diferente, pois a equipe fez campanha irregular no regional, mas o entrosamento ajudou na Série D e o resultado foi o alcance do “confronto de acesso”.

HISTÓRIA | O confronto mais alternativo das quartas da Série D 2017 é inédito. O Atlético Acreano chega pela segunda vez consecutiva nesta fase, se juntando a Uberaba, Anapolina e Mixto, com duas participações na história. O São José é novato. Além do Galo, o Plácido foi outro acreano que alcançou esta etapa, mas, também, não subiu. O São José espera se juntar a Juventude (2013), Brasil (2014) e Ypiranga (2015) como o quarto gaúcho a conseguir a ascensão.

SÉRIE D 2018 | O Atlético Acreano tem vaga garantida na Série D 2018 e caso suba, o posto será assumido pelo Plácido de Castro. O São José não conseguiu classificação pelo Estadual, mas ainda pode alcançar, desde que não passe de fase, caso vença (ou vice) a Copa FGF 2017.

Anúncios

3 comentários em “Guia das quartas da Série D 2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s