Guia alternativo da Copa das Confederações 2017

Aqui nada de Cristiano Ronaldo, Álexis Sánchez, Joachim Low, Pepe ou alguma outra grande atração da Copa das Confederações, que começa neste sábado (16). Neste guia, uma visão totalmente invertida da competição será mostrada, com foco no futebol alternativo. Em alguns casos, tranquilamente detectados, mas em outros, tivemos que viajar para te mostrar um outro olhar. Aproveite esse guia, consulte, compartilhe…

GRUPO A

RÚSSIA

A fase áurea do Rostov

Em um elenco sem “estrangeiros”, a Rússia tem 23 jogadores atuando na liga local, com o Spartak Moskow liderando com cinco atletas. O que chama atenção é o vice-líder do ranking: o Rostov, com quatro. A fase da equipe é monumental desportivamente (a situação financeira é preocupante, ainda), desde 2015, quando iniciou a campanha do vice-campeonato russo, para chegar a fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa em 2016/17. O lateral-esquerdo Fyodor Kudryashov, o meio-campo Aleksandr Erokhin e os atacantes Dmitri Poloz e Aleksandr Bukharov. No meio dos times que mandaram atletas chama a atenção, o Arsenal Tula, que se livrou do rebaixamento apenas na disputa dos playoffs, tendo Vladimir Gabulov, experiente goleiro, com passagens pela seleção, talvez o nome mais controverso da lista.

PORTUGAL

As exceções ao Trio de Ferro

Não seria nada surpreendente, te perguntar quantos jogadores do elenco de Portugal na Copa das Confederações passaram pelo Trio de Ferro do país, formado por Benfica, Porto e Sporting, e a resposta ser: todos. Quase isso. Do elenco, 21 jogadores têm passagem pelos clubes, seja por categorias de base, vínculo contratual ou profissional. As exceções são o zagueiro Luís Neto, 29 anos e o lateral Raphaël Guerreiro, 23 anos. O primeiro foi formado no Varzim, onde ficou por 10 anos, até acertar com o Nacional, de lá partiu para o Siena, onde atuou meia temporada, para acertar com o Zenit St. Petersburg, onde está desde 2013. Guerreiro é francês de nascimento, se profissionalizou no Caen e no Lorient “explodiu” e chamou atenção de todos.

Sobre o restante do elenco, vale frisar os três africanos da equipe, que nasceram em países lusófonos: Danilo Pereira (Guiné-Bissau), William Carvalho (Angola) e Gelson Martins (Cabo Verde). Além desses, Nani, Eliseu e Nelson Semedo têm descendência cabo-verdiana. Na equipe menos alternativa da competição é possível encontrar focos de alternatividade.

MÉXICO

El Tri globalizada

Para muitos, a Liga MX é a melhor das Américas quando se trata da relação organização e qualidade de futebol, o que sempre rendeu uma supremacia nas convocações para a seleção local. Para a Copa das Confederações, pela primeira vez em uma competição, o número de jogadores convocados que atuam no campeonato nacional será menor do que aqueles que atuam fora: 14 a 9. Entre os locais, destaque para o ótimo e interminável Rafa Márquez, 38 anos, zagueiro do Atlas e a nova promessa e mais jovem jogador do elenco, o atacante Hirving Lozano, 21 anos, do Pachuca, atual campeão da Concachampions.

Entre os que atuam fora, o goleiro Ochoa vem de mais uma temporada difícil, apesar da qualidade. Na última temporada, foi rebaixado com o Granada na La Liga e, o pior, se tornou o goleiro mais vazado de uma edição de Espanhol, com 80 gols sofridos.

NOVA ZELÂNDIA

Os mais jovens, o centroavante experiente na Indonésia e mais alternatividade

Sem dúvidas, os All Whites são os maiores representantes do futebol alternativo nessa Copa das Confederações. Não apenas por serem os representantes da Oceania, mas pelos convocados. O Wellington Phoenix, clube local que disputa a liga australiana, tem o mesmo número de jogadores que o Porto tem na competição, dividindo a liderança do ranking, com seis jogadores.

O multicampeão continental Auckland City teve um convocado, o meio-campo Clayton Lewis, 20 anos. Ele, ao lado de Dane Ingham (18, Brisbane Roar), Sam Brotherton (20, Sunderland) e Monty Paterson (20, Braintree Town) estão entre os cinco jogadores mais novos da Copa das Confederações. O caso do winger Paterson é bem interessante. Ele pertence ao Ipswich Town, mas foi emprestado ao Braintree, clube da quinta divisão inglesa que foi rebaixado na última temporada, onde fez 15 jogos e dois gols.

Clubes alternativos não faltam na lista de convocados, como no caso do experiente e ídolo local, Shane Smeltz, que disputou a Copa do Mundo de 2010 e vai para a terceira disputa da Copa das Confederações. O atacante, de 35 anos, está atuando no futebol da Indonésia, onde joga pelo Pusamania Borneo, que ocupa a 12ª colocação do nacional, até o fechamento desse texto.

Há ainda, o lateral-esquerdo Kip Colvey, que atua no Reno 1868, que disputa a USL, segundo escalão dos Estados Unidos; o goleiro Stefan Marinovic, que disputou a quarta divisão da Alemanha, conquistando o acesso com o SpVgg Unterhaching e o defensor Michael Boxall, que joga no Supersport United, da África do Sul.

GRUPO B

ALEMANHA

A ascensão de Diego Demme

Sem nenhum titular convocado para a disputa, a Alemanha aproveita para testar jogadores, que não tem tantas oportunidades. Poderíamos ter facilidade de encontrar casos alternativos, mas rendeu uma boa pesquisa. O nosso principal personagem é Diego Demme, 25 anos, volante do RB Leipzig, que há três anos comemorava o acesso da equipe na terceira divisão alemã. No ano seguinte, ao lado de Joshua Kimmich, outro convocado, fez campanha “decepcionante” ao não conseguir o acesso esperado, que veio na temporada 2015/16, que resultou no vice-campeonato da Bundesliga em 2016/17. Três anos de verdadeira revolução na vida de Demme.

O Hoffenheim é o clube “com mais jogadores convocados”: quatro. Aspas, pois o zagueiro Süle e o meia Rudy já foram contratados pelo Bayern Munique. Junto deles, Sandro Wagner, 29 anos, o mais velho do elenco e Kerem Demirbay, que na temporada passada estava na segunda divisão atuando pelo Fortuna Düsseldorf.

CHILE

De Leomar a Mena

No âmbito nacional, o Sport não é alternativo. Está sem dúvida, entre os 20 maiores clubes do Brasil em relação histórica, mas assim mesmo, são poucas convocações de jogadores do clube para seleção. O atual momento do Leão é marcante com Diego Souza se tornando homem de confiança de Tite e do lateral Eugenio Mena, que representará a equipe pernambucana na Copa das Confederações. Foram 16 anos de espera para que um novo jogador rubro-negro pudesse ser lembrado, como o caso de Leomar, saudoso volante que disputou a Copa das Confederações 2001, após ser convocado (considerada controversa pela grande mídia) por Emerson Leão.

No elenco, vale o destaque para jogadores do Palestino, o meia Leonardo Valencia, e do Huachipato, com o atacante Ángelo Sagal (que irá atuar pelo Pachuca em 2017/18).

CAMARÕES

23 jogadores, 23 clubes diferentes

Quando se tratam de clubes alternativos, Camarões também tem muitas curiosidades. A começar pelo elenco que não tem jogadores que atuam junto em algum clube. Outro ponto, não há nenhum atleta que atue no país, mas há um que joga em Angola!!! O zagueiro Joseph Ngwem, 25 anos, está na segunda temporada de atuação pelo Progresso de Luanda. Deve ser titular da equipe.

Outros casos que chamam atenção são: o goleiro Georges Bokwe, joga no Mjondalen IF, da segunda divisão da Noruega; o defensor Lucien Owona, do Alcórcon, “segundona” espanhola e o atacante Christian Bassogog, do Henan Jianye, da China.

AUSTRÁLIA

23 jogadores, 23 clubes diferentes #2

A base da seleção australiana é formada por jogadores da A-League, da Championship (segunda divisão inglesa) e da China SuperLeague, o que rende um caso igual ao de Camarões, com nenhum atleta jogando na mesma equipe.

Em 2014, Massimo Luongo e Bailey Wright foram convocados quando atuavam na terceira divisão inglesa, a League One, mas dessa vez, subiram um patamar. O primeiro é peça-chave do Queens Park Rangers e o segundo atua pelo Bristol City, dois clubes da Championship. Aaron Mooy vive um momento glorioso, com o acesso do alternativo Huddersfield Town à Premier League, o que deve fazer com que tenha mais chances na seleção.

Um caso interessante é do zagueiro Dylan McGowan, que na próxima temporada irá atuar pelo Paços de Ferreira, após acertar transferência junto ao Adelaide United. O mais experiente e conhecido continua sendo Tim Cahill, nascido em Samoa, o meia-atacante é o craque do Melbourne City.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s