A história da Copa do Nordeste em um mapa interativo

A 15ª edição da Copa do Nordeste começou. A competição se consolidou como a mais interessante do primeiro semestre, após voltar com força em 2013. A primeira edição foi oficializada em 2012, parece estranho, mas é porque a CBF reconheceu o Torneio José Américo de Almeida Filho de 1976, conquistado pelo Vitória como oficial, mesmo com algumas controvérsias, pois “reconhecimento” foi feito em um guia da CBF, o que foi considerado um erro. Tanto que um ano antes, o CRB foi campeão do mesmo torneio e não foi reconhecido. No fim dos anos 1990 e começo dos anos 2000, o campeonato era considerado por muitos, como o melhor do país, muita pela força das arquibancadas.

Desde então, o Nordestão contou com 55 clubes participando em variados formatos e modos de classificação. Dos mais tradicionais até os mais alternativos, passando ainda por um clube de fora da região.

Conhecida pelo reforço a identidade regional, a apelidada Lampions League, carrega muitas peculiaridades. No mapa abaixo, você vê todos os clubes que participaram e ao clicar, temos o ano em que participou, incluindo a edição 2017, que conta com as estreias do Uniclinic e Altos. Aproveite o mapa e confira algumas curiosidades.

As curiosidades:

O estado com mais clubes participantes na história é a Bahia, que já teve 11 equipes no decorrer da história. Em seguida, aparecem Alagoas (oito), Sergipe (sete), Ceará (seis), Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte (cinco), Piauí (quatro) e Maranhão (três);

Em 1976, na primeira Copa do Nordeste, o Volta Redonda foi convidado pela organização da competição para a disputa. No formato dos pontos corridos, a equipe ficou em 9º lugar, com uma vitória, quatro empates e cinco derrotas. Até hoje, foi a única participação de um clube de fora da região;

Se em 2013, tivemos um alternativo Campinense x ASA na final, outro jogo que merece atenção foi o das quartas de final da edição 2000, entre Miguelense (AL) e Poções (BA), que teve vitória baiana na ida, por 2 a 1, e empate na volta, por 1 a 1;

Em 1994, Alagoas teve cinco equipes na Copa do Nordeste, o recorde de um estado em uma edição. CSA, CRB, ASA, Capela e Cruzeiro de Arapiraca foram os representantes;

Por motivos “CBFísticos”, o Maranhão e o Piauí não eram considerados parte do Nordeste pela entidade, sendo assim, só puderam participar a partir de 2015;

Apenas dois nordestinos venceram a competição como treinadores: Givanildo Oliveira, pelo Sport, em 1994 e Oliveira Canindé, pelo Campinense, em 2013;

Das 55 equipes, 25 participaram apenas uma vez da Copa do Nordeste: Capela, Miguelense, Cruzeiro, Corinthians (Alagoas), Ypiranga, Poções, Feirense, Palmeiras Nordeste, Serrano (Bahia), Juazeiro, Uniclinic (Ceará), Imperatriz (Maranhão), Sousa (Paraíba), Altos, Flamengo, Piauí (Piauí), Porto (Pernambuco), Globo, Potiguar, Baraúnas (Rio Grande do Norte), Lagartense, Coritiba, Socorrense, Estanciano (Sergipe) e Volta Redonda (Rio de Janeiro).

Anúncios

Um comentário em “A história da Copa do Nordeste em um mapa interativo

  1. Na verdade, o Volta Redonda não foi convidado para participar do Nordestão. O torneio em questão foi promovido pelo Governo da Paraíba e teve duas edições: 1975 e 1976. Apenas a 2ª edição foi reconhecida pela CBF como Nordestão, mais por lobby do Vitória do que por outro motivo. A Copa do Nordeste de 1994 foi organizada pelo Governo de Alagoas e teve apenas uma edição. Em 1997, a CBF reativou a do Copa do Nordeste e a manteve até 2003.

    Em 1975, participaram ABC-RN, América-RN, Auto Esporte-PB, Botafogo-PB, Central-PE, CRB-AL, Potiguar-RN e Treze-PB. 5 dos 9 estados do Nordeste foram representados.

    Em 1994, participaram ABC-RN, América-RN, ASA-AL, Bahia-BA, Botafogo-PB, Capela-AL, CRB-AL, CSA-AL, Cruzeiro-AL, Fortaleza-CE, Guarany-CE, Náutico-PE, Santa Cruz-PB, Santa Cruz-PE, Sport-PE e Vitória-BA. 6 dos 9 estados do Nordeste foram representados.

    Levando em consideração que apenas em 2015 tivemos representantes de Maranhão e Piauí, o usual era ter clubes de 7 dos 9 estados da região. E a falta de critério da CBF para reconhecer ou não clubes como campeões abre marge para que os próprios clubes se intitulem campeões do Nordeste. O Itabaiana ficou em 4º colocado da Primeira Divisão de 1971, equivalente a atual Série B. Como ele foi o melhor nordestino e o campeonato era regionalizado, ele se auto-proclama Campeão do Nordeste daquele ano. No ano seguinte, o Sampaio Corrêa foi campeão da mesma competição e é reconhecido pela própria CBF como campeão da Segunda Divisão de 1972. Coisas do nosso futebol, mal administrado por quem devia fazê-lo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s