Las Feras Meia Boca – Santo André (2009-2016)

Os gringos que (não) deixaram (nenhuma) saudade estão de volta à Série Z! A segunda leva de jogadores estrangeiros que passaram pelo Brasil vem com aqueles que atuaram pelo Santo André. Na nossa pesquisa, percebemos que o clube do ABC Paulista não é muito de investir em “gringos”, sendo que neste século apenas quatro jogadores de fora do Brasil passaram pelo estádio Bruno José Daniel, onde apenas um deles deixou boa impressão. Vamos a lista, que conta com um boliviano e três argentinos.

Pablo Escobar (2009)

(Foto: Divulgação/Gazeta Press)
(Foto: Divulgação/Gazeta Press)

Após boa passagem pelo Ipatinga, para a disputa da Série A 2008, o meia-atacante boliviano permaneceu na elite nacional no ano seguinte, para, desta vez, ajudar o Santo André. Escobar chegou no início do ano, para a melhor temporada que teve no Brasil, com 36 jogos e 10 gols marcados. Depois disso, passou pela Ponte Preta, Botafogo-SP e Mirassol, para daí, rumar de volta a Bolívia, onde é ídolo do The Strongest.

Mariano Torres (2010)

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Formado nas categorias de base do Boca Juniors, o meia Mariano Torres ficou conhecido por ser o “brinde de Matias Defederico”. Parece estranho, mas é verdade. Em 2009, o Corinthians anunciou Defederico e o meia veio como parte da negociação. No mesmo ano foi emprestado ao Náutico. Em fevereiro de 2010, o Santo André o anunciou, com o empresário Sérgio Vertello soltando a seguinte pérola: “Um jogador que vem da mesma escola do Riquelme e atuava ao lado desse craque no Boca, com certeza tem alguma qualidade”. Pois bem, jogar ao lado de Riquelme não é sinônimo de qualidade, meu caro, e assim foram apenas quatro jogos pelo Paulistão. No meio daquele ano acertou com o Huracán. Atualmente, é jogador do Saprissa, da Costa Rica! Na temporada 2015/16, atuou ao lado de Escobar, no The Strongest!

Mario Jara (2011)

santo-andre-jara
Jara (direita) virou xodó da torcida (Foto: Reprodução/Diário do Grande ABC)

 

Argentino, volante, marcador e raçudo! Foram com essas credenciais que Mario Jara chegou ao Santo André. Vindo do futebol paraguaio, mais exatamente do Olimpia (mesmo que alguns registros deem em conta que atuava no General Diaz), veio para ocupar a posição a frente da zaga e ser xerife. Fez quatro jogos, se machucou e teve mais dois jogos. Foi embora ao fim do ano, mas… em 2012, a torcida do Ramalhão fez uma campanha na internet pedindo a volta do jogador (conforme imagem abaixo). O estilo “general” chamou atenção e acabou se tornando um “ídolo alternativo” para parte da torcida. No ano da campanha, Jara teve “passagens” pelo Lagarto, Osvaldo Cruz e América-PE. O último registro do atleta foi pelo carismático Barracas Central.

Mariano Trípodi (2016)

(Foto: Divulgação/EC Santo André)
(Foto: Divulgação/EC Santo André)

Torcedor santista lembra bem dele, pela (falta de) qualidade e por um gol contra o Cucutá, que garantiu a vaga na segunda fase da Libertadores 2008. Trípodi rodou o Brasil, com um hiato para jogar na Argentina, Japão e Liechtenstein, para depois retornar. No começo do ano passado, Trípodi chegou ao Ramalhão, onde fez apenas nove jogos, sem gols marcados, mas com uma marca, o primeiro título por um clube brasileiro, do Paulista Série A-2. Para esta temporada, o atacante voltará a jogar pelo Metropolitano.

Anúncios

Um comentário em “Las Feras Meia Boca – Santo André (2009-2016)

  1. adorei seu artigo muito bom vou voltar mais vezes para ver ótimas dicas sobre alguns jogadores estrangeiros fazendo sucesso com o nosso futebol aqui no Brasil. Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s