Grêmio Maringá: um clube e dois presidentes?

O futebol de Maringá, norte paranaense, durante boa parte de sua história se viu envolto em idas e vindas. Não é diferente, com o Grêmio Maringá, um nome que perpetua no esporte local desde os anos 1960, seja com presidentes e pessoas jurídicas diferentes, mas com denominação forte no inconsciente do torcedor, pois foi com esta que a cidade conquistou três campeonatos estaduais, sendo assim, continua com torcedores fiéis.

No começo de 2002, o Grêmio Maringá tinha novo mandatário (ou dono), Aurélio Almeida (AA), que assumia como “homem forte”, mas que com o passar dos anos criou traumas para o torcedor do Galo. Dez anos depois, ele colocou o time à venda, após péssima campanha na Divisão de Acesso. Em 2014, uma nova gestão assumiu, mas com desconfiança da torcida, pois o novo presidente tratava-se de David Marcelo Ferreira, o Kadu, que trabalhou com Aurélio. A partir do ano seguinte, as coisas passaram a ficar mais claras e a torcida se uniu (mais) ao clube, com a contratação de Aloísio Chulapa e Alex (2015) e o quase acesso à elite estadual (2016). Em 2017, tudo parecia correr para uma temporada de um novo rumo, mas era ilusão e a sombra de Aurélio Almeida voltou a encostar no clube.

Os novos capítulos da novela “gestão Grêmio Maringá” começou em outubro passado, quando Aurélio Almeida divulgou nota, afirmando que estava retornando ao comando da equipe, o que logo foi rebatido pela “gestão Kadu”. No mês seguinte, no dia 21, Kadu anunciou o ex-zagueiro André Astorga, como diretor de futebol, para iniciar a formulação do elenco e a contratação do treinador.

Quando tudo parecia encaminhado, em 21 de dezembro, a Federação Paranaense de Futebol (FPF) atualizou o nome do presidente do clube no site da entidade, citando como mandatário da agremiação, Aurélio Almeida, que foi recolocado, por uma possível dívida não paga pela “gestão Kadu”.

(Reprodução/FPF)
(Reprodução/FPF)

No mesmo dia, a “gestão Kadu” divulgou nota se mostrando surpresa com a alteração e destacou que tal, viu a torcida ser assustada, com algo que causou “furor e terrorismo”, mas que a situação seria resolvida após recesso judicial e o que o trabalho de montagem do elenco continuava. Ao mesmo tempo, parte da torcida se incomodava com uma certa inércia da gestão ao não tomar medidas mais drásticas quanto a Almeida.

Um dia depois desse burburinho, a “gestão Kadu” anunciou Rafael Andrade, como treinador da equipe, comandante que tem experiência em Divisão de Acesso, já que em 2014 subiu com o Nacional de Rolândia. O elenco começou a ser divulgado, com jogadores diferentes dos últimos anos, com aposta em uma mescla de idade, onde se destacam jogadores como o lateral Diego Fiusa (30 anos) e o artilheiro do Paraense 2016, Jerferson Monte Alegre (22).

Quando tudo parecia se encaminhando para uma temporada planejada e com possibilidades de ter uma nova boa campanha, o bizarro aconteceu, já que a “gestão AA” anunciou Tupãzinho, ex-atacante do Corinthians, como treinador. Sendo assim, oficiosamente, o Grêmio Maringá tinha dois presidentes.

Aurélio Almeida e Tupãzinho na apresentação que realizaram (Foto: Orlando Gonzalez)
Aurélio Almeida e Tupãzinho na apresentação que realizaram (Foto: Orlando Gonzalez)

A estratégia de Aurélio Almeida chamou atenção, pois o peso do nome dos dois treinadores é maior para Tupãzinho, que deixou corinthianos locais e a imprensa atentos à contratação. Mídia local, aliás, que pouco discutiu o assunto de fato, com matérias sendo produzidas dos dois lados, mas separadamente. O “Paraná TV – 2ª edição”, da RPC, produziu uma boa matéria sobre o assunto, para ver: clique aqui.

No começo de janeiro, mais exatamente no dia 5, Tupãzinho foi apresentado e, segundo relatos, se mostrou assustado com o que viu durante a apresentação, com a “cisão do clube”. Na semana seguinte, ainda em silêncio sobre o assunto, foi a vez da “gestão Kadu” apresentar o treinador, elenco e informações administrativas da equipe, que contou com a presença de membros da torcida organizada Galo Terror, em apoio a administração dele. A apresentação foi rechaçada pela “gestão AA”, conforme nota abaixo.

Nesse meio tempo, a FPF não se pronunciou sobre o assunto, mas na noite desta quarta-feira (11), a entidade colocou mais um capítulo na novela, com uma nota de esclarecimento, em que, “para a entidade, o presidente do Grêmio Maringá S/S Ltda, é o Sr. Aurélio Almeida. O fato é baseado em documentos apresentados à FPF e nas decisões do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) e do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD)”.

Rafael Andrade, André Astorga e Kadu na segunda apresentação da equipe (Foto: Douglas Santos)
Rafael Andrade, André Astorga e Kadu na segunda apresentação da equipe (Foto: Douglas Santos)

Toda essa confusão deverá ter novos capítulos, sendo que a “gestão Kadu” já tratou de acalmar os torcedores e que continuará o trabalho que vem sendo feito. É bem possível, que na tarde desta sexta-feira (13), os dois, Aurélio Almeida e David Marcelo Ferreita, vão até a sede da FPF, para participar do arbitral da Divisão de Acesso, o que será um momento no mínimo pitoresco.

Caso, o leitor queira acompanhar de forma “oficial”, a briga do Grêmio Maringá pode ser acompanhada nas duas páginas no Facebook mantidas pelas duas gestões (gestão Kadu e gestão AA).

De um lado, uma gestão que conta com um técnico, elenco praticamente formado e que já está trabalhando, além de estar na direção nos últimos anos e de outra, uma direção que conta com apenas o treinador confirmado, que ainda busca jogadores no interior paulista (não tem nenhum jogador anunciado) e que agora conta com um parecer favorável da justiça.

Pelos traumas causadas, caso se confirme a gestão Aurélio Almeida, a equipe que tem um nome histórico no futebol estadual perde a chance de rivalizar com o Maringá FC, que também, está na Divisão de Acesso, por parte da torcida que se mantém neutra. Dentro de campo, impossível analisar a situação dos “três times”. O que é muito provável que aconteça é que teremos recursos sobre recursos, para mudar a situação administrativa do clube. Estaremos atentos aos próximos capítulos.

Anúncios

8 comentários em “Grêmio Maringá: um clube e dois presidentes?

  1. A historia começa em 2015, AA sempre publicou dizendo que Kadu não pagou pela compra e ainda falsificou uma procuração em nome de Play Freitas…

  2. Aurélio Almeida errou, pra variar. Fica puxando saco de clube paulista. Primeiro chamou o Müller do São Paulo pra ser treinador. Depois chamou o Tupanzinho do Corinthians. Enquanto isso vemos o Rafael Cammarota, goleiro campeão brasileiro de 1985, sem trabalho de treinador em clube (o mesmo já jogou pelo Grêmio Maringá). Será que é por isso que dizem que o Aurélio Almeida é uma falácia? hehehe .

  3. E como fica as nossas crianças que estão escritos para jogar .meu filho tem dez anos está muito triste não sei o que faço não tenho respostas .

  4. Boa noite Felipe não sei o que faço em novembro de 2016 fui procurar a sede e matriculei meu filho na escola do grêmio mas com toda essa confusão não tenho respostas não consigo falar com responsáveis paguei o uniforme e nada de ele jogar o que faço?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s