O (quase) Caxias da Série A 2002

Era um sábado, dia 22 de dezembro de 2001, quando Figueirense e Caxias disputavam a última rodada do quadrangular final da Série B. Um dos dois estaria na Série A seguinte com uma vitória, pois estavam empatados com seis pontos, mas nos critérios de desempate, o Figueira tinha maior número de gols (7 a 6). No jogo, Abimael abriu o placar para os catarinenses, aos 16’/2º, até que aos 46 minutos, faltando 50 segundos, segundo o árbitro da partida, Alfredo dos Santos Loebeling, a torcida alvinegra não aguentou a euforia e invadiu o campo

Estava feita a desordem. O regulamento previa que o Caxias teria os pontos da partida pelo que ocorreu, mas uma pressão da comissão de arbitragem fez com que na súmula se contasse que Loebeling já havia apitado o fim da partida (veja texto hiperlinkado, acima).

A decisão no tribunal saiu apenas em 2002, na véspera do início da primeira divisão, mas e a imprensa, os guias da competição, como se saíram na época? Tradicional produtora dos guias, a Placar, como o, então, próprio diretor de redação da revista, Sérgio Xavier Filho citou, optou em “ser mais razoável pecar pelo exagero do que pela falta”, dessa forma, sem a definição se Caxias ou Figueirense disputariam a Série A 2002, as duas equipes foram colocadas no guia, ou seja, 27 equipes foram apresentadas, mas depois ficou definido que o Figueira era dono da vaga e o Caxias teve que se contentar com a Série B, na qual ficou com a modesta 14ª colocação.

Duas páginas com os jogadores do plantel do Bepe (Foto: Reprodução/Placar Magazine - Google Books)
Duas páginas com os jogadores do plantel do Bepe (Foto: Reprodução/Placar Magazine – Google Books)

Fato é, que a partir da página 24 daquela edição estava o Caxias, com todas as informações históricas do clube, ficha técnica, estádio, time-base e os 28 jogadores do elenco (sendo 18 com foto e dez sem). Tudo pronto para uma possível decisão favorável ao Bepe, que não ocorreu.

Vendo os jogadores que faziam parte do elenco nos veio a seguinte questão, será que algum deles continua jogando? Fomos atrás disso e descobrimos quem daquele quase elenco de Série A entrou em campo neste ano.

Rafael Muçamba (35 anos, volante)

Criado na base do Caxias, Rafael foi escolhido como destaque da equipe na edição, estampando a primeira página do clube. Após o Caxias, a melhor fase do volante foi no Paraná onde atuou entre 2005 e 2007, mesmo com alguns empréstimos para América de Natal e São Caetano. Depois disso, andou pelo Brasil e neste ano defende o União Frederiquense, que lutou pelo acesso na Segunda Divisão Gaúcha.

Lê (31 anos, atacante)

O atacante foi formado pelo Caxias e tem boa parte da carreira em clubes gaúchos, com mais destaque para o Veranópolis, onde atua desde 2011 em determinadas competições. Em 2016, fez seis jogos no Gauchão, mas não marcou nenhum. Após o fim do Estadual se aposentou, para cursar a faculdade de medicina.

Baggio (34 anos, zagueiro)

Mais um formado na base, Baggio era um dos que não tinham foto. O atleta chegou a jogar em Portugal e Espanha. Passou por vários clubes na última década e atualmente é zagueiro do Hercílio Luz, que disputa a Divisão de Acesso de Santa Catarina.

Reinaldo Gaúcho (35 anos, atacante)

O centroavante fez as últimas três temporadas em Hong Kong, sendo que em 2015/16 estava no Wong Tai Sin e após essa passagem está sem clube, pois não renovou contrato. Passou por mais de dez clubes brasileiros após o Caxias até chegar à Ásia.

Em contrapartida, os outros 24 jogadores encerraram a carreira: Sadi (2003/Caxias), Israel (2010/Batatais), Jairo Santos (2009/Hercílio Luz), Felipe (2005/Pelotas), Emanuel (2013/Avenida), Ivair (2007/Comercial), Marcos Bazílio (2011/União Suzano AC), Cláudio (2013/Guaçuano), Mancuso (2013/Nacional Nova Serrana), Gedeon (2014/América Teófilo Otoni), Orlando (2012/Sampaio Corrêa), Guto (2015/Brasiliense), Amarildo (2004/Espírito Santo de Colatina), André (aposentado, mas sem registros de ano e clube), Maranhão (aposentado, mas sem registros de ano e clube), Dudu (2013/Salgueiro), Esequiel (2011/Birkirkara-Malta), Tuto (aposentado, mas sem registros de ano e clube), Augusto (2012/Taubaté), Wanderley (2002/Caxias), Walter (2015/Villa Nova – vale frisar que trata-se de Walter Minhoca), Luciano Paraiba (2015/Sport Campina), Léo (2014/Nacional Atlético Muriaé – trata-se de Léo Medeiros) e Rafael (2009/Bandeirante de Birigui).

Fica a lembrança aos torcedores, que ao menos no Guia Placar do Brasileirão 2002, o Caxias foi Série A!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s