As Eliminatórias dos desistentes

Em 1949, o mundo ainda apresentava resquícios da Segunda Guerra Mundial, com países em reconstrução e sanções internacionais impostas (Alemanha e Japão), o que influenciou o futebol e a primeira Copa pós-guerra, o Mundial de 1950. Porém, nesse ano, 32 seleções se mostraram dispostas a começar o caminho rumo ao Brasil, considerado um local seguro para a realização da competição.

Brasil, sede, e Itália, então última campeã mundial se classificaram diretamente, sendo que os dirigentes e atletas da Azzurra aceitaram após uma longa negociação para convencê-los, pois o país se reconstruía.

As 32 seleções foram divididas em 10 grupos regionais, de onde sairiam 14 equipes classificadas para o Mundial, mas não foi isso que aconteceu, pois apenas 11 equipes finalizaram o caminho rumo ao Brasil nas Eliminatórias marcadas por inúmeras desistências.

A Europa tinha direito a sete vagas e as seleções foram divididas nos seis primeiros grupos.

A British Home Championship 1949/50, torneio que reunia as seleções britânicas, foi utilizada como qualificatório e foi chamado de grupo 1. A Inglaterra foi líder (campeão da Home) do grupo, com três vitórias e se classificou para a competição. A Escócia ficou em segundo e garantiu a vaga, mas desistiu posteriormente. A FIFA decidiu não chamar País de Gales ou a Irlanda (seleção que reunia jogadores da Irlanda do Norte e Irlanda), que terminaram empatadas com um ponto.

No grupo 2, a Turquia que derrotou a Síria, por 7 a 0, teria o direito de enfrentar a Áustria, mas o adversário desistiu. A vaga foi repassada aos turcos que a rejeitaram. A FIFA resolveu convidar Portugal, que havia sido eliminada pela Espanha no grupo 6 (5×1 e 2×2), mas também não aceitou a vaga.

Na terceira chave, Israel e Iugoslávia se enfrentaram em duas partidas, com duas goleadas iugoslavas, que garantiu a chance de enfrentar a França pela vaga na Copa. Nas duas primeiras partidas, empate por 1 a 1. Um jogo desempate foi marcado e com gol de Željko Čajkovski na prorrogação, a Iugoslávia ficou com a vaga. Os franceses foram convidados e comum que se tornou, desistiram da Copa.

A Suíça passou tranquila por Luxemburgo na fase preliminar do grupo 4, que garantiu vaga para enfrentar na decisão, a Bélgica, que nem entrou em campo e deu a vaga direta para os suíços.

Suécia, Irlanda e Finlândia formavam a quinta chave. Os suecos se classificaram sem problemas, após três vitórias e nenhuma derrota, isso porque a Finlândia desistiu antes da última partida. A Irlanda fez três pontos e foi convidada a participar do Mundial de 50, mas recusou.

Os grupos 7 e 8 eram destinados a América do Sul, que teve direito a quatro vagas, com sete seleções na disputa. Antes mesmo de entrarem em campo, três seleções desistiram das eliminatórias. A Argentina que, para muitos historiadores, teve a melhor seleção na década de 1940 desistiu da fase qualificatória e Chile e Bolívia (as equipes chegaram a se enfrentar por duas vezes, mas os jogos não foram considerados oficiais) ficaram com as vagas. No “grupo 8”, Peru e Equador desistiram da disputa e Uruguai e Paraguai rumaram ao Brasil.

México, Estados Unidos e Cuba fizeram parte do grupo da América do Norte, Central e Caribe. A disputa foi em turno e returno e os dois primeiros se classificaram. O grupo foi único sem desistências naquelas Eliminatórias. A seleção mexicana ganhou os quatro jogos e ficou em primeiro, seguido pelos EUA, que fizeram três pontos, dois a mais que Cuba.

Seleção americana que protagonizou uma das maiores zebras da história das Copas.
Seleção americana que protagonizou uma das maiores zebras da história das Copas.

O último grupo é responsável por um mito. A Índia se classificou diretamente após a Birmânia, Indonésia e Filipinas desistirem das Eliminatórias, mas foram proibidos, pois jogavam com os pés descalços, o que não era permitido pela FIFA, mas que se trata de um conto, pois a real razão era a falta de conhecimento dos indianos na época, como bem explica um texto de 2010 do Última Divisão, assinado por Emanuel Colombari.

Os "pés descalços" da Índia.
Os “pés descalços” da Índia.

Ao fim de tudo isso, 14 seleções que tiveram a chance da disputa não se classificaram por desistência, rejeição ou falta de informação. A Copa do Mundo de 1950 foi disputada por 13 seleções, três a menos que o reservado para a competição, que teve a vitória dos EUA sobre a Inglaterra como grande zebra e claro, a final que marcou jogadores brasileiros, que puderam descansar em paz, 64 anos depois.

Anúncios

2 comentários em “As Eliminatórias dos desistentes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s