Made in Brasil

Em 2002, o futebol da China virou assunto obrigatório nos programas esportivos da mídia brasileira, já que naquele ano, o Brasil enfrentou a seleção local na Copa do Mundo. Mas a impressão que fica, é que o futebol chinês se tornou uma pauta mais recorrente, atualmente, do que naquele ano.

Janela de transferências aberta e logo, a China aparece como destino de jogadores brasileiros. O crescimento foi tanto que pela primeira vez, um brasileiro que joga na China irá disputar uma competição oficial pela seleção, no caso Diego Tardelli, atacante do Shandong Luneng, convocado para a Copa América.

A Super League, a primeira divisão chinesa, possui um sistema para contratação de estrangeiros. Cada clube pode ter cinco atletas do tipo, sendo que uma das vagas deve ser ocupada por um asiático. Nesse cenário, o Brasil lidera com folga a lista, com 22 jogadores, em segundo, a Coréia do Sul, com dez. A Argentina é a terceira colocada com cinco. Apesar da liderança, o número é menor que as duas últimas edições da liga. Em 2013 e 2014, eram 27 jogadores. Mas claro, sem contar a janela do meio do ano.

Dos 16 clubes da primeira divisão, apenas quatro não têm brasileiros: Beijing Gouan, Changchun Yatai, Guangzhou R&F e Liaoning Whowin. Os outros doze contam com brasileiros.

Quatro brasileiros

Guagzhou Evergrande: Renê Jr. (V), Ricardo Goulart (MA), Alan (A) e Elkeson (A);

Três brasileiros

Shandong Luneng: Júnior Urso (V), Diego Tardelli (A) e Aloísio (A);

Shanghai Shenxin: Johnny (M), Zé Eduardo (A) e Everton (A);

Zé Eduardo com a camisa do Shenxin.
Zé Eduardo com a camisa do Shenxin.

Dois brasileiros

Chongqing Lifan: Jajá Coelho (MA) e Guto (A);

Guizhou Renhe: Hyuri (A) e Ricardo Santos (M);

Tianjin Teda: Lucas Fonseca (Z) e Andrezinho (M);

Andrezinho, ex-Inter e Botafogo, com a camisa do Tianjin Teda.
Andrezinho, ex-Inter e Botafogo, com a camisa do Tianjin Teda.

Um brasileiro

Henan Jianye: Ivo (M);

Jiangsu Sainty: Eleílson (Z);

Hangzhou Greentown: Anselmo Ramon (A);

Shanghai East Asia: Davi (M);

Shanghai Greenland: Paulo Henrique (A);

Shijiazhuang Ever Bright: Rodrigo Defendi (Z).

O zagueiro Eleílson está na China desde 2009. (Foto: Twitter/Jiangsu Sainty)
O zagueiro Eleílson está na China desde 2009. (Foto: Twitter/Jiangsu Sainty)

Faltou apenas um goleiro e mais opções na zaga, mas o Série Z montou a “seleção brasileira do futebol chinês”. Caso tenha outra opinião, comente abaixo.

abI5lgaann

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s