Ipatinga: onde estão os 11 de 2005?

Rodrigo Posso; Luizinho, William, Irineu e Beto; Fahel, Leandro Salino, Léo Medeiros e Paulinho; Walter Minhoca e Kanu. Há exatamente 10 anos, no dia 17 de abril de 2005, em um domingo à tarde, o Ipatinga vencia o Cruzeiro e conquistava o inédito título mineiro.

O time comandado por Ney Franco, tinha sete anos de existência, até então. Em 2005, a equipe tinha um apelido marcado, mas verdadeiro, a “Filial do Cruzeiro”, devido a muitos jogadores que passaram pela equipe da capital antes de chegar ao Ipatinga. Se por um lado, era a filial, do outro se tornou “Matriz do Flamengo”, já que Ney Franco em 2006 acertou com o Flamengo, e tornou o clube do Vale do Aço, uma espécie de base do elenco rubro-negro. Ney, que em 2004 também havia trabalhado como treinador interino do… Cruzeiro.

A relação filial e matriz foi tão grande, que dos 11 jogadores titulares nas duas partidas finais do estadual, seis tiveram passagem por pelo menos um, dos dois clubes, levando em consideração ser formado no clube mineiro e ter ido jogar no clube carioca após o título. Irineu, Leandro Salino, Léo Medeiros e Walter Minhoca estão nos dois extremos: começaram no Cruzeiro e posteriormente ao título de 2005, foram para o Flamengo. Rodrigo Posso e Kanu começaram no Cruzeiro. Luizinho e Paulinho jogaram no Flamengo durante a passagem de Ney Franco.

Dos 11 nomes, apenas dois tiveram a chance de disputar a primeira divisão nacional pelo clube em 2008: Rodrigo Posso e Beto. O goleiro não teve muitas chances, fez apenas duas partidas e tomou cinco gols. O lateral participou de 16 jogos e fez dois gols, inclusive, um deles em um dos mais emblemáticos (foram pouquíssimos) jogos daquela campanha: o gol aos 32 minutos do segundo tempo que deu a vitória por 1 a 0, contra o Internacional, pela 15ª rodada.

Léo Medeiros, um dos grandes nomes da campanha de 2005, foi o algoz três anos depois. Na estreia do Brasileirão, o Ipatinga recebeu o Atlético Paranaense, que venceu a partida por 1 a 0, com gol dele, Léo Medeiros. (Desconsiderem o Rhodolfo que o narrador cita).

O capitão na conquista do título era William, zagueiro que defendeu Grêmio e Corinthians após a passagem pelo Ipatinga. Fahel, que passou por Botafogo e Bahia, recentemente, também estava naqueles 11 escolhidos por Ney Franco.

Dez anos se passaram e quantos deles continuam jogando? Quatro deles estão em algum clube em 2015. São eles:

Irineu (32 anos): Doze FC, do Espírito Santo;

Leandro Salino (29 anos): Olympiakos, da Grécia;

Walter Minhoca (33 anos): Nacional Atlético Muriaé, de Minas Gerais;

Kanu (32 anos): Al-Jahra, do Kuwait.

Outros cinco, jogaram por algum clube em 2014 e não “anunciaram aposentadoria”:

Luizinho (32 anos): Paracatu, do Distrito Federal;

Beto (34 anos): Araxá, de Minas Gerais;

Léo Medeiros (33 anos): Nacional Atlético Muriaé, de Minas Gerais;

Fahel (33 anos): Bahia;

Paulinho (39 anos): Patrocinense, de Minas Gerais.

Dois já encerraram a carreira, oficialmente:

Rodrigo Posso (38 anos): encerrou a carreira em 2013 pelo Nacional de Nova Serrana, de Minas Gerais. Ainda em 2013, foi treinador do Trio, de Coronel Fabriciano (MG) na disputa da terceira divisão estadual, fazendo campanha ruim;

William (38 anos): encerrou a carreira em 2010 pelo Corinthians. Atualmente é comentarista da SporTV e do PFC.

Depois de 2008, o Ipatinga entrou em decadência. Chegou a mudar de sede, para Betim, no final de 2012, mas retornou no final de 2013. Atualmente disputa a segunda divisão estadual, onde disputa o hexagonal final.

MG - IPATINGA -- CARTÃO

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s