Ibiraçu (ES): a “Legião dos Rejeitados” campeã de 1988

Era 1982! Segunda divisão capixaba! O Ibiraçu Esporte Clube, equipe do norte do estado garantiu o acesso e o título. A permanência na primeira divisão foi marcada mais por “baixos do que altos”, mas tudo mudou em 1988. Um clube que vivia de incertezas e não se firmava fez disso uma filosofia: formou um elenco com jogadores rodados no Espírito Santo, mas que não firmavam nos clubes nos quais passava.

Assim escreveu o jornalista Álvaro Silva da Revista Placar: “… a maioria chegou ao Ibiraçu no início do ano desprezada por seus clubes anteriores. Para se ter uma ideia, cinco atletas e o técnico formavam a “Legião dos Rejeitados” – rótulo que ganharam por não darem certo em outras equipes do Espírito Santo”. Essa lista era composta pelo goleiro Sandro; zagueiros Daniel Alves e Marinho; os meias Auri, Tião e Dário; os atacantes Marcelo e Valdecir e o treinador, o Zuza.

Embalado por Roberto Carlos, Zuza e seu elenco passaram pela primeira fase, invictos, foram cinco vitórias e três empates, com um ataque que marcou 14 gols, o melhor da primeira fase, e tomou seis, o que garantiu a liderança do Grupo Norte com 13 pontos, cinco a mais que a Desportiva.

A campanha na primeira fase

Ibiraçu 1-1 Desportiva

São Mateus 2-2 Ibiraçu

Ibiraçu 1-0 Vitória

Colatina 1-3 Ibiraçu

Desportiva 0-1 Ibiraçu

Ibiraçu 2-0 São Mateus

Vitória 1-1 Ibiraçu

Ibiraçu 3-1 Colatina

Classificação Grupo Norte

1. Ibiraçu 13

2. Desportiva 8

3. Vitória 8

4. Colatina 6

5. São Mateus 5

Na fase final, a disputa do título seria definida por pontos corridos. Os dois melhores de cada grupo se enfrentavam em turno e returno. Ao lado do Ibiraçu, Desportiva, Estrela do Norte e Rio Branco eram os postulantes ao título.

Na primeira rodada, a única derrota do clube, 2 a 1 para o Rio Branco. Depois, duas vitórias consecutivas, contra Desportiva (3×0) e Estrela do Norte (2×1). Dois empates sem gols marcaram a sequência.

Na última rodada, apenas o Estrela do Norte não tinha chances de conquistar o título. A Desportiva liderava com sete pontos, um a mais que o Ibiraçu e dois a menos que o Rio Branco. O Rio Branco venceu a Desportiva por 3 a 0 e o título ficou no interior, já que com dois gols de Marcelo e um de Carola, o Ibiraçu pôde comemorar. A torcida pôde comemorar. Cerca de três mil pessoas lotaram o Estádio Marcos José Campagnaro, o Marcão, que tinha capacidade para 2500 pessoas na época. Invasão de campo! Era o título que tinha chegado.

O Ibiraçu foi a campo no jogo do título com: Sandro; Canário, Daniel Alves (Raul), Laedes e Marinho; Auri, Tião e Dário (Delei); Carola, Éder e Marcelo. O treinador: Zuza.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi o único título do clube, o que lhe garantiu um feito inédito: ser o primeiro clube capixaba a disputar a Copa do Brasil. Em 1989, a equipe enfrentou o Grêmio na primeira fase da competição, mas foi eliminado, com duas derrotas, 1 a 0, em casa e 6 a 0 no Olímpico.

Atualmente, o clube ainda existe, com as categorias de base e com uma sede social considerável.

ES - IBIRAÇU -- CARTÃO

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s